Sem popularidade, sem influência, sem estrutura e sem voto

Lucas Porpino, Beto Meireles, Gilson Cândido, João Rafael, Marcelo Bandeira e Coronel Alencar quer...

Lucas Porpino, Beto Meireles, Gilson Cândido, João Rafael, Marcelo Bandeira e Coronel Alencar querem ser a 'força independente'

Os vereadores Beto Meireles, Lucas Porpino e Marcelo Bandeira se reuniram com o Coronel Alencar e com os empresários João Rafael de Aguiar e Gilson Cândido na tarde de quinta-feira (11). Eles almoçaram juntos e decidiram seguir uma 'linha política independente' em Guarabira (PB), a partir de agora. 

A ideia do ‘sexteto’ é apresentar ao município um “programa de governo” diferente do que já existe em Guarabira, e indicar um nome para sucessão municipal em 2016. Informações dão conta de que o grupo também tem o apoio do vereador Jáder Filho e de outras lideranças.

A cidade precisa mesmo de uma terceira força política, mas... 

Ei, psiu! Alguém, por favor, avise aos navegantes que o nome a ser indicado para representar uma 'terceira força política' em Guarabira tem a necessidade de ser tão popular, influente e estruturado quanto Paulino e Toscano. Além disso, precisa ter VOTO. 

Nesse time, então, não há ninguém com essas características: popular, influente, estruturado e bom de voto. Ninguém. Também não há quem represente 'o novo' nesse grupo. Repito: nenhum deles tem VOTO – pelo menos o bastante para ‘eliminar’, de uma só vez, as duas principais correntes políticas do município. 

Por enquanto, a única força que talvez possa alimentar os planos desse grupo é Ricardo Coutinho (PSB), governador da Paraíba - que também precisou do apoio do PMDB para se reeleger em 2014. É dele que esse 'sexteto' depende, com total subserviência. #Política

Você pode gostar também

4 comentários

  1. É por conta de pessoas com a mentalidade que você tem que nós, cidadãos guarabirenses, estamos à mercê dos dois grupos políticos que predominam na nossa cidade. Talvez eles não tenham voto suficiente, mas a união desses com outros que poderão se acostar à esses fará uma diferença. Temos que criar essa consciência. Guarabira é grande o suficiente pra ter o discernimento de compreender que não pertence a dois grupos políticos. E você, um dia, se tiver a decência suficiente, entenderá isso.

    ResponderExcluir
  2. "Guarabira é grande o suficiente pra ter o discernimento de compreender que não pertence a dois grupos políticos." Eu estou ciente disso, colega. O que tem a ver a minha 'mentalidade', então. Em nenhum momento no artigo eu disse ou defendi que a cidade deva permanecer sobre o 'controle político' das duas forças existentes. Leia com mais atenção, colega. O que eu disse foi que nesse grupo dito como independente nenhum tem voto suficiente para derrotar Paulino e Toscano. Ou tem? Acho que você seria reprovado em questão de interpretação de texto. Leia novamente! Guarabira precisa de uma terceira força. Mas ela precisa ser independente de Paulino e Toscano, principalmente financeiramente, precisa ser popular e ser bom de voto - ou que ganhe a confiança do povo para ser bem votado. No entanto, insisto: nenhum desses tem voto como Paulino e Toscano. No mais, fique á vontade caso deseje se identificar. Obrigado pela atenção com o blog. Volte sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o colega tem vida suficiente para saber que na política nao se pode, de maneira alguma, subestimar os adversários. E aqui lembro campanhas como a de Jader Pimentel em 1992 e a mais recente, a reeleição do governador Ricardo Coutinho, fato que a grande maioria do povo da Paraíba, mesmo votando nele, não acreditava na sua vitória.
      Um sonho de mudança, de renovação, de uma cidade cada vez melhor, nasce de um ou de poucos e termina ganhando e conquistando a vontade da maioria.
      Pense nisso!

      Excluir
  3. O grupo detém do os cargos do Governo. Tem dinheiro. Com dinheiro a gente compra até Ikeda. :)

    ResponderExcluir