Enem 2014: apenas 250 pessoas tiveram nota máxima na redação

Da Veja Apenas 250 pessoas dos cerca de 6,2 milhões de participantes do Exame Nacional do E...


Da Veja

Apenas 250 pessoas dos cerca de 6,2 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014 obtiveram nota máxima, ou seja, 1.000 pontos, na prova de redação. O número representa apenas 0,004% do total de participantes do exame. O dado foi divulgado nesta terça-feira pelo Ministério da Educação (MEC), em coletiva de imprensa. Ainda segundo a pasta, 35.719 participantes tiveram conceitos entre 901 e 999. Na última avaliação, 529.374 inscritos tiveram nota zero na redação.

Quando avaliadas as notas de redação dos estudantes concluintes do ensino médio, é possível notar que os resultados pioraram em comparação com o exame de 2013. As notas médias foram 9,7% mais baixas do que em 2013 — 521,2 para 470,8. No Enem 2014, 3.235.715 pessoas declararam ser egressas do ensino médio.

Mesmo dizendo que o MEC ainda não tem uma resposta definitiva para a queda na nota média da redação, o ministro da Educação, Cid Gomes, relaciona o resultado ao tema da avaliação — em 2013, os alunos tiveram de escrever sobre a Lei Seca, enquanto que no ano passado a dissertação foi sobre publicidade infantil. "A questão da Lei Seca foi muito debatida, a mídia focou muito nisso. Já não houve muita discussão sobre o tema de 2014. Não diria que foi mais difícil, pois isso é relativo. Mas é, sem dúvida, um tema que não teve o grau de discussão nacional que teve o de 2013", disse. 

Conforme balanço do MEC, foram encaminhadas 2.695.949 redações para um terceiro avaliador, o que acontece quando os corretores dão notas com discrepância maior de 100 pontos na soma total ou 80 em uma ou mais competências. Desse total, 283.746 foram enviadas para uma banca especial, formada por três integrantes, para decidir sobre a nota final.

Desempenho geral — O Enem 2014 também registrou queda de 7,3% na nota dos estudantes na prova de matemática: a média passou de 514,1 para 476,6. "Não diria que foi uma queda significativa na nota. Diria que é uma queda que deve estimular a comunidade acadêmica a examinar esses dados", afirmou Gomes, sugerindo que uma diferença de até 5% nas notas de matemática e redação estaria dentro da margem de erro — e, portanto, apontando que neste caso a queda estaria acima do previsto.

Em comparação à edição do Enem de 2013, o último exame registrou um aumento de 3,9% da média de linguagens, 5,4% em ciências da natureza e 2,3% em ciências humanas.

Ao ser questionado se estava satisfeito com o resultado do Enem, Gomes admitiu: "Claro que não. A média é que é o importante, e esta proposta é usada para o Prouni. Para o meu conceito, em matemática e redação houve uma queda, ao tempo em que em ciências da natureza houve uma elevação. Ao meu juízo, quem deve se debruçar sobre esses números é a comunidade acadêmica. E o MEC disponibilizará todos os dados", conclui.

***

#Sociedade #Educação

Você pode gostar também

0 comentários