Guarabira, cidade de luz: 'a cidade velha'

Não há nada mais significante e lindo para mim numa cidade, seja ela grande ou pequena, de que v...


Não há nada mais significante e lindo para mim numa cidade, seja ela grande ou pequena, de que ver seus prédios antigos sendo preservados. Aqui na região, por exemplo, ainda é possível apreciar a arquitetura de casarões antigos e prédios públicos, de fato, que continuam de pé. Borborema, Serraria, Areia, Duas Estradas, Solânea e Bananeiras são, no meu ponto de vista, os municípios que mais se destacam e se preocupam em preservar a história. Lamentavelmente, não posso dizer o mesmo de Guarabira (PB), minha cidade natal.

Mas apesar de tudo, ainda há rastros do passado sendo preservados em Guarabira. A 'cidade antiga' ainda existe, preservada para a nossa alegria. E é justamente isso que eu quero mostrar nesse post, o pouco que nos sobrou de prédios e residências do passado – uns ainda habitados, outros, porém, estão fechados e abandonados, resistindo ao tempo. Este é um post simples, sem aprofundamento histórico, mas que merece destaque.

As imagens a seguir, com exceção das 03 fotos sem créditos, foram captadas pelas lentes do fotógrafo Levy Galdino. Adianto que se eu tivesse estrutura de trabalho, o contrataria para ser o fotógrafo oficial do Caderno de Matérias. Como ainda não tenho, vou aproveitando sua amizade para manter essa parceria antes que alguém o contrate.

E em relação à preservação do nosso patrimônio, eu observo que essa coisa de preservar, restaurar e promover a história tem muito a ver com a cultura de cada cidade e a importância que se dá a sua história. Pelo que sobrou do nosso passado, parece, então, que o nosso povo não tem dado muito valor a história. 

Diferente do que ocorre em Natal (RN) e nos municípios que citei acima, por exemplo, a cidade de Guarabira não desenvolveu a necessidade de preservar a beleza e a riqueza de seu passado. Vajamos, com redundância, 'um pouco do pouco que nos resta'. #Sociedade #GuarabiraCidadeDeLuz






*** 
Clique aqui e veja postagem anterior

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Mt bacana como sempre a matéria e obrigado pela parte em que me cita!

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, Duas Estradas não tem preocupação nenhuma com suas construções históricas, a realidade é que existe até um desprezo da população por elas.

    ResponderExcluir