Acesso às páginas de notícias por meio de smartphone dobra em 2014

Do Comunique-se Como foi o mercado para jornais, revistas e internet em 2014? O comparativo com os números alcançados em 2013 foi d...

ivc-mobile

Do Comunique-se

Como foi o mercado para jornais, revistas e internet em 2014? O comparativo com os números alcançados em 2013 foi divulgado nesta terça-feira, 10, pelo Instituto Verificador de Comunicação (IVC). Como já era previsto, a audiência em websites cresceu. Quando o assunto é smartphone, o volume de acessos às páginas de notícias dobrou vindo desses aparelhos.

Os números representam que pelo menos um terço do tráfego de websites visto hoje é proveniente de dispositivos móveis. O IVC constatou que a evolução dos acessos via tablets teve crescimento tímido, isso por causa das vendas do aparelho, que teve queda, e do tamanho dos celulares. "Com o tamanho maior das telas dos celulares, o consumidor passou a substituir o tablet pelo smartphone. E isso fica claro quando analisamos os números”, explicou o presidente-executivo do IVC Brasil, Pedro Silva.

O balanço aponta que em janeiro de 2014 o acesso mobile aos websites representava 13% do total. Em dezembro, esse número já era 27%. Por sua vez, o tráfego via smartphone saltou de 10% para 23%. O acesso por meio dos tablets subiu de 3% para 4%.

Digitais - Gráfico 1
Gráfico mostra como foi a audiência no meio digital

Jornais

Sobre os jornais, uma leve queda em circulação foi constatada, mas, segundo o IVC, o número foi tão pequeno que manteve a mídia estável, ou seja, com o mesmo desempenho do ano anterior. Em números, o meio teve 4.393.434 exemplares em 2013, para 4.392.567 em 2014.

Outros dados mostrados pelo IVC foram com relação às assinaturas, que cresceram 7,5%, passando de 2.201.317, em 2013, para 2.367.205 no ano passado. As vendas avulsas diminuíram 7,6% (2.192.117 para 2.025.364) e as edições digitais dobraram de um ano para outro, 118% (500.370 no ano passado, ante 228.944 no ano anterior). Esses números mostram como é a participação das edições digitais no total de circulação. Ela passou de 5,2% para 11,4%, com pico de 15,1% em dezembro.

“Cada vez mais o leitor acessa a informação onde quer que esteja. Isso faz com que as edições digitais cresçam. A estabilidade apresentada em nosso balanço só corrobora o que editores já têm como certeza: as multiplataformas das publicações ‘conversam’ entre si e dão alternativas interessantes ao consumidor”, explicou Silva.

Jornais - Gráfico 1
Gráfico relativo ao comportamento do meio jornal em 2014
Revistas

O digital também foi responsável por trazer bons números às revistas. As edições, que representam 5% da circulação total do meio, cresceram em 42,3% em relação a 2013. A versão impressa, no entanto, apresenta queda de 9,6%. As vendas avulsas caíram 19,8% sobre 2013 e assinaturas tiveram retração de 3,2% no mesmo período.

“Acompanhamos esse crescimento das edições digitais desde 2012 e esse cenário, com certeza, traz novas perspectivas para o meio revista. Mesmo que os números das edições impressas tenham caído, o meio digital, notadamente aqueles via mobile, estão dando fôlego ao setor. Além disso, essa comunicação entre as plataformas é uma forte tendência, o que faz o meio apresentar números melhores a partir de agosto”, disse o executivo.

Revistas - Gráfico 1
Gráfico relativo ao comportamento do meio revista em 2014
***

#SintoniaFina

Você pode gostar também

0 comentários