'Araçagi, um novo tempo': Imagens chocantes revelam situação do matadouro público da cidade

Na placa de identificação está escrito: “MATADOURO PÚBLICO MUNICIPAL ‘Severino Agustinho da Silv...


Na placa de identificação está escrito: “MATADOURO PÚBLICO MUNICIPAL ‘Severino Agustinho da Silva’ – ARAÇAGI, UM NOVO TEMPO”. Como assim, um “novo tempo”? Com a palavra o senhor prefeito Didi Bras.

Na terça-feira (10), o radialista Rudney Araújo postou em seu perfil no Facebook imagens chocantes do matadouro público da cidade de Araçagi (PB). Uma vergonha, assim como a gestão municipal.




Como se vê nas fotos, as condições do local são, talvez, as piores possíveis para um matadouro. Além de higiene, falta respeito à população e, sobretudo, aos consumidores de carne bovina.

Se sempre foi assim, não interessa. Acredito que a atual gestão foi eleita propondo ‘uma nova forma de governar’, mesmo que fosse repetir mais do mesmo – como ocorre com a maioria dos políticos.

Nota-se, claramente, que o local não tem a mínima condição de higiene para abater e tratar da carne que vai chegar à mesa das pessoas. E por onde anda a Vigilância Sanitária, alguém sabe?

Perguntar não ofende: a VS, pelo menos, cobra documentação de procedência e origem do animal, por exemplo, ou algum documento? E o matadouro de Araçagi, está com a documentação em dia?

Quem trabalha naquele ambiente também deveria usar, pelo menos, assessórios e uniformes específicos para a execução do serviço. Mas se não há água para eliminar excrementos humanos, imagina o resto.

A situação é grave. É séria. A saúde das pessoas pode ser comprometida pela ‘qualidade da carne’ que sai daquele lugar, mais do que já está pela corrupção que há nesse país e pelo ‘investimento’ que o Governo faz em saúde pública.

Como na Vigilância Sanitária não há um efetivo que possa, de fato, fiscalizar e tomar conhecimento dessas ocorrências, a gente faz o nosso papel: de divulgar e de chamar a atenção das autoridades competentes. 

E pelo que o blog conseguiu apurar junto a uma fonte, pelo menos, parte da carne comercializada em Guarabira sai desse matadouro. E quando não sai, é clandestina. Outra parte vem de Santa Rita. Este assunto, inclusive, continua repercutindo nas redes sociais. #Política #Sociedade

Você pode gostar também

0 comentários