Caderno de Matérias amplia discussão e repercute postagens feitas em rede social em relação artigo postado no blog

“Vá com calma, Ikeda. Vá com calma!” Foi o que algumas pessoas expressaram em relação ao artigo - ...

“Vá com calma, Ikeda. Vá com calma!” Foi o que algumas pessoas expressaram em relação ao artigo - “Enquanto os “girassóis” estão ‘rindo a toa’, o povo de Guarabira sofre por falta de políticas públicas” - que escrevi e publiquei recentemente tratando da situação política de alguns vereadores que estão ‘comprometendo’ o projeto do PSB na cidade de Guarabira (PB).

Eu quero dizer que estou calmo, gente. O que eu fiz foi abordar e dar publicidade ao que ocorre no cenário político local, considerando, sobretudo, o noticiário das rádios, as matérias publicadas em sites da cidade e o que se comenta em grupos políticos no Whatsapp, por exemplo. Apenas isso. Lamento, porém, não ter agradado a todos. E ninguém agrada.

Contudo, o artigo publicado neste blog realmente teve a repercussão que a editoria esperava. O post gerou vários comentários nas redes sociais - favoráveis e, naturalmente, contrários ao que escrevi. Aproveito este espaço, então, para ampliar a discussão, e repercutir também algumas dessas postagens feitas na rede social Facebook sobre o meu texto.




Embora nenhum dos vereadores citados em meu artigo faça parte do PSB, por enquanto, são eles que estão ditando as regras em Guarabira, junto com algumas lideranças como Josa da Padaria, Gilson Cândido e João Rafael, por exemplo. Já os verdadeiros militantes "girassóis" estão de fora das discussões. Só falta agora estarem de fora das decisões do partido.

Sendo assim, até o momento não há nada de novo na política de Guarabira. Nenhuma proposta sequer em benefício do povo, pelo menos da parte dos vereadores que aderiram a Ricardo Coutinho e anunciam 'libertar a cidade' dessa alternância de poder que já passou dos 40 anos. Observe ao redor, amigo leitor: veja quem está se beneficiando... O povo sofre, viu! 

***

OBS: Amigo leitor. Observe que no ‘print’ de uma das imagens há alguns ‘recortes’: após ter comentado na rede social, em um compartilhamento feito a partir de meu próprio perfil no Facebook, o senhor Pedro Francisco me pediu educadamente para retirar do ar o seu comentário, alegando não ter comentado no blog, mas numa rede social.

Embora a matéria tenha sido postada e compartilhada a partir deste blog, e como eu não estou a fim de perder tempo com mentes vazias, respondendo 'de forma oficial', o pedido foi aceito pela editoria. Isso me fez pensar: será que os "girassóis" também têm a característica de tentar cercear a comunicação? Espero que não. Mas se a moda pega... #Política #Opinião

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Entendo sua posição, meu senhor. Talvez seja algum ‘assessor’ e não queira se envolver, já tendo se envolvido na questão... Ocorre que eu não dei destaque ao seu comentário, mas a uma série de comentários feitos numa postagem minha que foi intensamente compartilhada em rede social a partir do meu perfil, em que você se dispôs a comentar. Afinal, você comentou no perfil de Belarmino, que compartilhou minha matéria. Diferente de você, ele não me pediu para excluir nada. O outro detalhe é que além de não estarmos ligados “como amigos” na rede social, o seu perfil não é bloqueado, ou seja, qualquer pessoa pode ver o que você escreveu. Ainda assim, eu não fui buscar o seu comentário no seu perfil virtual: você comentou numa postagem que teve origem no meu próprio perfil e no meu blog. Portanto, não devo nada, nenhuma satisfação ao senhor quanto a sua postagem, nem o blog tem o direito de retirá-la do ar. Porém, como não estou a fim de perder tempo com mentes vazias, vou “recortar” o seu comentário, senhor Pedro Francisco da Silva. E atualizarei a postagem como satisfação ao leitor. Informo, contudo, que será a última vez. Não se exponha tanto numa rede social...

    ResponderExcluir