Coluna Manchete - 09 de maio de 2015

Está no ar a 54ª edição da coluna semanal Manchete, um suplemento do Blog Caderno de Matérias do ...

Está no ar a 54ª edição da coluna semanal Manchete, um suplemento do Blog Caderno de Matérias do Ikeda. A proposta é repercutir e adiantar, de forma resumida, os fatos mais importantes da semana e o que ainda há de acontecer, em até 140 caracteres. #Manchete


“Pátria Educadora”: Acabou a verba para o Fies

O MEC anunciou que a verba para novo contrato do Fies, acabou. Com isso, a edição do 2º semestre não está garantida pelo Governo.

Nova tarifa

A tarifa de ônibus intermunicipal subiu 7%. O reajuste pegou todo mundo de surpresa no feriadão.

Nova tarifa II

Esse aumento é para cobrir reajustes salariais.

Economia

A produção industrial cresceu, mas a oferta de emprego caiu na Paraíba.

Economia II

As principais causas são custos com energia, matéria-prima e carga tributária.

Vagas perdidas

Na Paraíba, 1431 vagas se perdem nas universidades públicas.

Vagas perdidas II

As instituições de ensino vão decidir se farão seleções próprias para preenchimento.

Vagas perdidas III

Também é possível guardá-las para a 2ª edição do Sisu.

Gripe mata na PB

Em apenas dois meses, a Gripe matou 103 na Paraíba. A informação é da Secretaria de Saúde do Estado.

Dengue avança na PB

Em um mês, os casos de dengue subiram 143% no estado da Paraíba.

Dengue avança na PB II

A SES confirmou uma morte em Alhandra. Mais sete casos estão sendo investigados.

No rádio

A Rádio Correio AM deixou de transmitir a programação da Jovem Pan para reproduzir a programação da 98 FM.

No teatro

Hoje tem espetáculo no teatro Geraldo Alverga, a partir das 19h30. “Comércio Ilegal” tem texto de Benjamim Carlos, de Guarabira.

AS 7 NOTAS QUE MARCARAM A SEMANA

PEC da Bengala

A Câmara Federal aprovou o texto-base da PEC da Bengala. O projeto eleva de 70 para 75 anos a idade máxima para aposentadoria dos ministros dos tribunais superiores. A sociedade saiu ganhando, mas o Governo perde – por não poder indicar ministros em tempo.

Conta de luz

Por atrasos em hidrelétricas, a conta de luz pode subir mais uma vez: a alta já chega a 50%.

50º assalto

Bandidos arrombaram o Banco do Brasil na cidade de Rio Tinto e levaram todo o dinheiro do cofre. Isso foi na madrugada de domingo (26). O que chama atenção é que o assalto já a 50ª ocorrência naquela agência bancária.

Sem dinheiro para festa junina

O Governo do Estado da Paraíba não dará dinheiro para festas de São João este ano. O governador Ricardo Coutinho (PSB) disse que a prioridade é combater a seca.

Não vai ter São João

De novo, em Guarabira não vai ter festa de São João este ano. Nunca teve, na verdade. A Prefeitura Municipal vai garantir o tradicional São Pedro, do B. Nordeste.

Mudou de controle

Em entrevista na Rádio Cultura AM, o ex-prefeito de Guarabira (PB) José Agostinho (Josa da Padaria) confirmou que vai deixar o PMDB depois de mais de 20 anos filiado e de ter construído sua carreira política no partido. Josa pretende agora seguir ‘carreira solo’ - “independente”, exceto de Ricardo Coutinho (PSB). Ele vai se filiar ao PSB.

Rompimento político

Após declarações do governador Ricardo Coutinho (PSB), que saiu em ‘ataque’ ao deputado estadual Raniery Paulino, o ex-governador Roberto Paulino (PMDB) anunciou seu rompimento político com o Governo. Paulino disse não aceitar os ataques contra a sua família.

Observações pontuais: PMDB rompe com PSB em Guarabira. Militância de RC tem duas opções nas eleições de 2016: eleger o prefeito da cidade ou se preparar para uma “lapada de votos” que pode fazer “os girassóis” mudarem de cor e de partido

Certo dia, ainda durante o 2º turno do pleito de 2014, eu recordo que comentei com o amigo professor Belarmino Mariano Neto sobre a possibilidade de rompimento da 'aliança política' entre Paulino e a ‘militância girassol’ bancada pelo então candidato Ricardo Coutinho (PSB), reeleito governador da Paraíba pelo PMDB. Belo contestou: não via essa possibilidade.

Naquele momento de euforia isso, realmente, parecia distante - improvável. Imagens de Roberto Paulino e Ricardo Coutinho, juntos no mesmo palanque, eram "antológicas" (!). Ao mesmo tempo davam a entender que a ‘aliança’ firmada entre PSB e PMDB – que garantiu a reeleição do governador – não teria um ‘prazo de validade’ tão curto, pelo menos no brejo.

Confesso que ver Roberto Paulino abraçando a ‘militância girassol’ era, para mim, algo difícil de entender e, até certo ponto, aceitar – sobretudo, quando Paulino aparecia de mãos dadas com figuras como Beto Meireles, por exemplo. Cenas marcantes como esta foram intensamente replicadas na internet como algo normal: não era. Ambos têm um discurso diferente.

O sonho acabou para o PSB. A ‘aliança’ se desfez. Agora é cada um por si: há quem diga, porém, que é todo mundo contra, feito aquele futebol de uma trave só. Tudo voltou ao normal e está no seu devido lugar. Hoje, além das duas forças políticas de Guarabira – Paulino e Toscano –, também há uma militância que quer virar grupo e ocupar o poder local.

Enquanto os nomeados por Ricardo Coutinho tentam convencer a população guarabirense de que apesar da distribuição de cargos públicos entre si – prática observada e reprovada pelo povo - há uma “nova proposta política” para cidade, o PSDB e agora o PMDB local, mesmo se opondo, estão juntos fazendo oposição e resistindo ao Governo e aos seus intentos.

Assim, tudo indica que a disputa do ano que vem, novamente, vai estar polarizada entre Paulino e Toscano - para a tristeza de uns e alegria de outros. Ricardo Coutinho, por sua vez, dispõe da máquina do Estado. Zenóbio Toscano tem a Prefeitura de Guarabira. Sem mandato, Roberto Paulino - que já provou que tem voto - deve apelar para o discurso e a promessa.

Tudo pode acontecer na eleição de 2016, como Zenóbio se reeleger ou Paulino voltar a controlar a prefeitura, por exemplo. Já a militância de RC vai poder mostrar algo novo e, consequentemente, eleger o próximo prefeito. É possível. No entanto, se isso não acontecer, “a lapada de votos” também poderá ser tão grande que “os girassóis” vão mudar de cor e de partido. P r e p a r a !

Entre aspas: “Quanto ao deputado, eu acho que quem fica perguntando e respondendo está tentando chamar para si os holofotes. O governo não foi atrás. Acho que ele está buscando se valorizar. O que eu lamento porque respeito muito o pai dele. Não tenho medo de adversários. Cada um sabe seu caminho. Se quer fazer o caminho de oposição ao governo, que faça” (declarou o governador a respeito da posição do deputado Raniery Paulino, do PMDB)

Você pode gostar também

0 comentários