Criticado por empregar parentes no Governo do Estado, vereador guarabirense usa rede social e se defende: “Toscanos e Paulinos sempre empregaram parentela”

O vereador guarabirense Beto Meireles tem sido bastante criticado por empregar parentes em cargos p...

O vereador guarabirense Beto Meireles tem sido bastante criticado por empregar parentes em cargos públicos no Governo do Estado. Nesta quinta-feira (07), o parlamentar usou seu perfil no Facebook e se defendeu com a seguinte justificativa: “Toscanos e Paulinos sempre empregaram parentela”.

Em seu texto, Meireles detalhou e citou nomes de parentes de políticos do município que também já ocuparam cargos públicos, por indicação política. Leia o que Beto Meireles postou na internet.

OS PARENTES DA POLÍTICA DE GUARABIRA

Já faz algum tempo que alguns setores da política e da imprensa de Guarabira têm empreendido uma campanha sistemática de ataque à minha imagem acusando-me de indicar parentes para ocupar cargos públicos no Governo do Estado.

Acusam-me de oportunista afirmando que meu apoio ao Governador Ricardo Coutinho teve por finalidade a ocupação desses espaços.

Talvez por não ter outras coisas para falar do homem público Beto Meireles, esses setores da política e da imprensa guarabirense se apegam a essas alegações seguindo a máxima de que “uma mentira repetida muitas vezes acaba se transformando em verdade na cabeça das pessoas”.

Devo dizer que eu fui a primeira liderança política com mandato em Guarabira a anunciar apoio incondicional à candidatura à reeleição do Governador Ricardo Coutinho.

Quanto à questão dos cargos algumas coisas precisam ser pontuadas: Eu tenho atualmente três parentes diretos ocupando cargos no Governo do Estado. Todos eles ocupam tais cargos desde o primeiro mandato do Governador Ricardo. 

Inclusive, foram fruto da indicação de Zenóbio Toscano que era aliado e a maior liderança do Governo do governo Ricardo Coutinho aqui em Guarabira. Ou seja, o mesmo que me critica hoje, foi quem indicou as minhas nomeações em um passado não muito distante. E só para deixar claro, eu não indiquei qualquer parente para ingressar nos quadros do Governo do Estado nesse segundo mandato de Ricardo.

Sou um defensor de que os cargos públicos sejam providos por concurso público, aplicando-se a impessoalidade, porém, diante do cenário que está posto, não vejo empecilho na ocupação de determinados cargos por pessoas da confiança do Governo, que trabalharam para a sua eleição/reeleição desde que tenha a devida qualificação.

Mas, se é pra falar de indicação de parentes façamos uma retrospectiva muito rápida e sem pesquisas mais apuradas, podemos afirmar que é muito difícil se apontar nos últimos 20 (vinte) anos algum político com mandato em Guarabira que estivesse apoiando um Governo, seja Estadual ou Municipal e não tenha nenhum parente indicado para integrar a administração.

Podemos citar rapidamente em relação à Zenóbio:

a) Joaquim Toscano (sobrinho do Prefeito Zenóbio): Ocupou cargos da ARPB no Governo Cássio e na Assembleia Legislativa.
b) Fátima (irmã de Léa, cunhada do Prefeito Zenóbio): Ocupou cargo de coordenadora de Recursos Humanos da Secretaria de Saúde no Governo Cássio e continuou no de Ricardo.
c) Edvardo Toscano (irmão do Prefeito Zenóbio): Foi diretor da SUDEMA no governo Ronaldo / Maranhão.
d) Marivardo Toscano (irmão do Prefeito Zenóbio): Ocupou o cargo de Diretor do IAPM de Guarabira.
e) Léa Toscano (esposa do Prefeito Zenóbio) depois de derrotada por Fátima Paulino foi criado um cargo para ela ocupar no governo de Cássio;
Foi Secretária Parlamentar lotada no gabinete do (à época) Deputado Federal Major Fábio;
Foi Secretária Parlamentar lotada no gabinete do (à época) Deputado Federal Rômulo Gouveia;
f) Euvaldo (irmão de Léa, cunhado do Prefeito Zenóbio): Ocupou o cargo de Secretário de Infra estrutura de Guarabira.
g) Percinaldo Toscano (primo do Prefeito Zenóbio): Secretário de Cultura e Diretor do Centro de Documentação da Prefeitura de Guarabira
h) Pliniark Toscano (primo do prefeito Zenóbio): Assessor contábil do Fundo Municipal de Saúde de Guarabira):
i) Lívia Toscano (prima do Prefeito Zenóbio): Atual Diretora do CAPS:
j) Larissa Paulo Neto Toscano (nora do Prefeito Zenóbio): Presta serviços na Policlínica de Guarabira.
k) Dentre outros…

Já em relação à Roberto Paulino podemos citar:

a) Raniery Paulino (filho de Roberto Paulino): Ocupou a Secretaria Adjunta da Indústria e Comércio no governo Maranhão
b) Fátima Paulino (esposa de Roberto Paulino): Foi secretária na primeira gestão de Roberto como prefeito de Guarabira da Fundação de Assistência e Bem Estar do Menor (FABEM);
Foi Presidente do Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente (CENDAC) quando Roberto Paulino assumiu o Governo do Estado em 2002;
Foi Secretária de Ação Social do Estado quando Roberto assumiu o governo da Paraíba no mesmo período;
c) Diógenes Paulino (filho de Roberto Paulino): Foi Secretário Executivo da Secretaria de Acompanhamento da Ação Governamental no Governo do Estado
d) Roberta Paulino (filha de Roberto Paulino): ocupou o cargo de Acompanhamento da Ação Governamental
e) Roseane Paulino – Foi secretária de Ação Social no governo Fátima Paulino;
f) Micheline Paulino (sobrinha de Roberto Paulino): Foi secretária de Educação durante o mandato de Fátima Paulino como prefeita de Guarabira
g) Michel Paulino (sobrinho de Roberto Paulino): Ocupou o cargo de Agente de Programas Governamentais, lotado na Casa Civil do Governo do Estado;
f) Dentre outros…

Inclusive é importante que aqui lembremos os casos de integrantes de setores da imprensa guarabirense que se utilizam da mídia com o objetivo de me criticar e atingir minha honra mas que também contemplam ou contemplaram seus familiares mais próximos nos governos, seja na esfera estadual ou na municipal.

Zenóbio hoje só não tem mais parentes ocupando cargos e outros espaços na Prefeitura porque a legislação atual não permite. Dessa forma, ele (Zenóbio) e Roberto, quando estão no poder indicam seus parentes mais próximos para disputar cargos eletivos, e aqui cito Fátima Paulino, Léa Toscano, Raniery Paulino e Camila Toscano, impedindo dessa forma, que guarabirenses que não têm o sobrenome deles possam assumir um cargo eletivo de maior relevância, essa gangorra que perdura em nossa cidade há mais de 40 anos. E tudo isso não deixa de ser cargo público.

O fato é que as duas grandes figuras da política de Guarabira esperneiam e levantam calúnias e difamações a meu respeito porque têm vislumbrado um novo tempo em nossa cidade e um novo jeito de governar na Paraíba, completamente diferente dos governos anteriores em que absolutamente tudo era concentrado nas mãos dessas duas famílias.

***

#Política

Você pode gostar também

0 comentários