Governador culpa mais uma vez a imprensa pelos seus erros e quer implantar o "notícia zero"

Do Blog do Dércio Além da   "helicópteroterapia",   outra medida que o governo Rica...

Do Blog do Dércio

Além da "helicópteroterapia", outra medida que o governo Ricardo Coutinho gosta de recorrer para se esquivar de responsabilidade, quando o assunto é violência, é a "imprensaterapia", cuja posologia consiste em culpar os jornalistas pela divulgação dos fatos.

O correto para o governador seria nenhum veículo de imprensa divulgar os furtos, homicídios, latrocínios, sequestros e rebeliões em presídios. Quem divulgar é boateiro e da oposição e deve ser investigado naquela AIJE dos jornalistas, cuja primeira audiência acontecerá nesta sexta no TRE.

Seria a versão paraibana do projeto de segurança pública "tolerância zero" nova iorquino. Só que aqui com algumas sutis adaptações.

Primeiro, querem mudar o nome para "notícia zero". A estratégia em curso é amordaçar a imprensa com cerco financeiro e jurídico, para que ninguém divulgue as ocorrências. Ou seja, censura prévia.

Esta, na verdade já é a segunda etapa desse projeto revolucionário proposto pelo secretário de Segurança Cláudio Lima ao governador.

Num primeiro momento, fecharam várias delegacias para evitar o registro de boletins de ocorrência. Sem os registros, nada aconteceu e, sem a imprensa para divulgar, a Paraíba vai virar, por decreto, o paraíso da paz.

Que coisa patética essa nota do governo, que acusa o senador Cássio e a imprensa livre de "criar o pânico", como se já não fizessem quatros anos e meio que a violência cresce sem controle e os cadáveres se amontoam nos IMLs.

RC quer vender a idéia de que os corpos fuzilados até em velórios são de plástico e os sequestros, assaltos, ônibus incendiados e presos decapitados, são cenas de um filme de terror, que a oposição mantém em cartaz no cinema da vida, só para culpar o governo e aterrorizar a população. Só que não.
***

#Política

Você pode gostar também

0 comentários