Filiado do PSB diz que decisões do partido em Guarabira são tomadas por meia dúzia sem ouvir os filiados. Para o socialista, Josa é coadjuvante e “na quermesse de Santo Antônio tinha mais gente” que no “Arraiá dos Girassóis”

Em comentário feito num post aqui no Caderno de Matérias, o professor doutor Belarmino Mariano Neto...

Em comentário feito num post aqui no Caderno de Matérias, o professor doutor Belarmino Mariano Neto diz que esteve na Câmara de Guarabira no último sábado (13), quando foi instalada a comissão provisória do PSB e feitas algumas filiações ao partido. O militante socialista classificou a solenidade de “política velha” e disse que tudo tem sido decidido por meia dúzia, sem a opinião dos filiados do PSB.

O professor observou também que o público era predominantemente de servidores contratados, pessoas que estão nesse ou naquele cargo. E questiona: “será que foram por livre e espontânea vontade?" 

Em relação aos festejos juninos - ao “Arraiá dos Girassóis”, ocorrido no final de semana -, Belo afirmou que na quermesse de Santo Antônio tinha mais gente. Veja o comentário:


O mesmo comentário deixado no blog foi feito no Facebook

Depois dessa, eu duvido que Belarmino Mariano continue filiado ao PSB do governador Ricardo Coutinho. Eu tenho certeza: ele não se expressou dessa forma para ‘aparecer’, como alguém tem feito por ai. #Política #Opinião

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Manter uma opinião própria sobre o que acontece ao nosso redor é sempre algo muito caro. E quando esse algo envolve a política, o preço cobrado decuplica. Esse é o caso de Belarmino Mariano Neto , situação que comungo, inclusive nas consequências, pois buscamos juntos construir ou ao menos colaborar com a construção de um pensar e um agir político mais arejado mais comprometido com o Povo e menos com os ares viciados dos gabinetes e camarinhas. Mais uma vez o que vemos é a capitulação dos projetos populares frente ao fisiologismo partidário e, porque não dizer, ao parasitismo político. Pensar socialismo é pensar na democracia para as massas e não nessa fisiologia que se apresenta como "nova força política". O que vejo é que de novo não há nada, somente as velhas práticas clientelistas do toma-lá-dá-cá. Mas há muito o que acontecer no desenrolar dessa novela pitoresca. Aguardemos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O desafio em relação ao Socialismo, implica em uma democracia substancial, nos indica para um socialismo com liberdade de opinião, com a possibilidade de, nas instâncias partidárias, a gente poder apresentar nossas opiniões, poder debater e aí sim, sairmos unidos em torno de uma decisão partidária. Nada disso aconteceu naquela convenção. O que vi, foram muitos estranhos ao partido se empoderando do mesmo, com o aval da direção estadual do partido. Não comungo com esse tipo de prática, então ao afirmar que vi uma prática de fisiologismo, pois é assim que a maioria das outras legendas agem. De um Partido que historicamente reivindica a bandeira socialista, essa prática não caberia essa especie de festa da fantasia, aos moldes dos partidos tradicionais.

      Excluir