Maldade não tem idade

Por Nonato Nunes , jornalista Amigo leitor. Não pode ser considerada psicologicamente sã uma ...

Por Nonato Nunes, jornalista

Amigo leitor. Não pode ser considerada psicologicamente sã uma pessoa que justifica um assassinato – hoje é cada vez mais comum o latrocínio cometido por adolescentes -, levando em consideração a menoridade do criminoso. Ora, a mão que puxa o gatilho de uma arma de fogo e mata um ser humano é a de um carrasco que impõe a pena de morte sobre a vítima, independente de ter o assassino menos ou mais de 18 anos de idade.

O efeito é o mesmo. O impacto sobre a família enlutada é o mesmo. A mão que puxou o gatilho do revólver que matou aquela menina numa escola de João Pessoa não era de um menor? Ora, a razão diz que não haveria diferença alguma se a mesma arma tivesse sido disparada por um adulto. O efeito produzido seria o mesmo, ou seja, a morte de uma inocente, assassinada sem qualquer direito à defesa.

Casos e mais casos envolvendo adolescentes assassinos têm sido registrados pelo Brasil afora, destruindo famílias inteiras e as tornando reféns desses mesmos assassinos, pois muitos deles, logo que saem dessas fundações, voltam a aterrorizar essas mesmas famílias - e à sociedade como um todo. E mais vítimas inocentes entram no obituário nacional, muitas delas jovens que levam para o túmulo todos os seus sonhos e esperanças.

Mas hoje vivemos sob a égide do medo patrocinado pelo tal “pensamento progressista”, do qual é o PT o seu maior representante. Apesar das estatísticas alarmantes, com o crescente número de adolescentes invadindo casas, estuprando, roubando e matando em plena luz do dia, o sadismo esquerdista se mantém irredutível na sua posição contrária à redução da maioridade penal.

Talvez essa resistência possa ser explicada pelo fato de essa gente sequer se preocupar com o destino dos seus próprios filhos. O que vemos hoje? Ora, a libertinagem sendo interpretada como sinônimo de liberdade. Para essa gente, pensar diferente disso significa ser conservador, retrógrado, ortodoxo... Assim sendo, é compreensível que justifiquem todos os crimes cometidos pelos que têm menos de 18 anos.

Não acredito que mudassem de opinião mesmo se um filho ou parente deles fosse atacado e morto na rua por um adolescente... Precisam se manter fiéis à cartilha pautada por uma ideologia assassina que beira o sadismo mais extravagante. Talvez nem o marquês de Sade fosse tão fiel aos seus próprios princípios. No aspecto “fidelidade” a tal Esquerda brasileira chega a ser mais realista que o rei.

A Câmara Federal promete que nos próximos dias a proposta de redução da maioridade penal será posta em votação. Talvez os “adoradores do caos” tenham razão quando dizem que a redução não acabará com a criminalidade dos tais “de menor”. Claro, nada pode extinguir o crime, pois o Homem age de acordo com sua índole, e quando tem propensão para o crime, zomba da lei como vem ocorrendo nos quatro cantos do país.

A redução da maioridade penal, no entanto, terá o efeito imediato de gerar a sensação de que tais criminosos ficarão mais tempo atrás das grades. E o governo que cuide de melhorar as instalações das penitenciárias para lhes garantir uma “ressocialização plena” – mas como presos comuns. Quem sabe assim o cidadão honesto terá mais tempo de vida... Um abraço e até a próxima.
***

OBS: A opinião expressa e reproduzida pelo blog é do autor do artigo. 

#Sociedade #Política #Opinião

Você pode gostar também

0 comentários