Câmara vota contra redução da maioridade penal. Os bandidos estão vencendo no Brasil

Memes como este já começaram a circular nas redes sociais Atualizado às 11h06 Embora a maio...

Memes como este já começaram a circular nas redes sociais

Atualizado às 11h06

Embora a maioria dos brasileiros (87%) seja a favor da redução da maioridade penal, a Câmara dos Deputados votou contra a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 171/93, que previa a redução da maioridade penal de 18 anos para 16 anos de idade para os crimes considerados "graves".

A votação ocorreu na madrugada desta quarta-feira (01). Foram 184 votos contra, 303 a favor e 3 abstenções. Porém, por se tratar de uma emenda constitucional, eram necessários 308 votos a favor para que a PEC fosse aprovada.

Cinco deputados do PSDB e dois do DEM deram vitória aos bandidos. São eles:
João Paulo Papa (SP), Eduardo Barbosa (MG), Betinho Gomes (PE), Max Filho (ES) e Mara Gabrilli (SP), do PSDB; e a professora Dorinha Seabra Resende (TO) e Luiz Henrique Mandetta (MS), do Democratas.

Quem defende a redução da maioridade penal, como o deputado Jutahy Júnior (PSDB), quer, apenas, a punição para quem comete crimes muito graves, como homicídio e estupro, por exemplo.

Já quem é contra a PEC, como a parlamentar Maria do Rosário (PT), costuma dizer que a redução não resolve e que o problema da violência precisa de soluções complexas e sérias.

No ‘Pinga Fogo’ do Jornal da Globo, os dois defenderam seus pontos de vista em relação a redução da maioridade penal no Brasil.

“O que a sociedade quer é reduzir a violência, diminuir o número de assassinatos, acabar com o número de pessoas que são vítimas da violência no Brasil. Mas essa redução da maioridade penal não resolve isso”, disse a deputada petista.

“Nós queremos a punição daquelas pessoas que cometeram crimes muito graves. Homicídio, estupro, crimes hediondos, tortura não podem ficar impunes. Um menor que fez isso com 16, 17 anos merece ser preso. Fica em estabelecimento separado, mas merece punição com a gravidade do crime que cometeu”, defendeu o deputado tucano.

“O problema da violência precisa de soluções complexas e sérias e não esse simulacro, essa falsa solução aqui apresentada, que só criminaliza a juventude pobre, negra das periferias, que já sofrem com os homicídios, pois são as principais vítimas do Brasil”, argumentou Maria do Rosário.

“Nós queremos que a sociedade fique tranquila, só crimes graves. Não pode ficar tudo como está, ou seja, não mudar nada, nem ir para a coisa linear, que todos os crimes são incluídos na redução da maioridade penal”, justificou o parlamentar.

Ao serem perguntados se isso não seria uma disputa entre governo e oposição, a deputada Maria do Rosário negou e explicou que trata-se de uma disputa entre a civilização, a Constituição de 88 e a barbárie, o atraso, voltarmos a uma lógica anterior”.

Para Jutahy Júnior, foi feito “uma proposta, que foi acolhida basicamente pelo relator, uma proposta ponderada que só se aplica a redução para crimes hediondos, como estupro e assassinato, questões que a sociedade não aceita mais que fiquem sem punição”.

Com esse resultado, então, tudo continua como está por enquanto. É bom lembrar que os grupos de estudantes e de movimentos contrários à redução que estiveram na Câmara, bem como quem votou contra ou se absteve, não representa a sociedade brasileira – considerando que 87% são a favor. 

Enquanto a civilização pensa em “soluções complexas e sérias” - como propõe a deputada do PT sem mostrar que soluções são estas - para resolver a situação da violência no Brasil, também cometida por menores de idade iniciados no crime, eu sugiro a você: se cuide! Os bandidos estão vencendo no Brasil. #Política #Sociedade

*** 


Confira como cada parlamentar paraibano votou:

A FAVOR DA REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL: Wilson Filho (PTB); Manoel Junior (PMDB); Efraim Filho (DEM); Veneziano Vital do Rêgo (PMDB); Hugo Motta (PMDB); Pedro Cunha Lima (PSDB); Wellington Roberto (PR); Rômulo Gouveia (PSD) e Benjamin Maranhão (SD).

CONTRA: Luiz Couto (PT) e Damião Feliciano (PDT).


AUSENTE: Aguinaldo Ribeiro (PP).

Você pode gostar também

1 comentários

  1. CONTRA A MAIOR IDADE PENAL
    Mais Escolas, Mais Educação, Mais Cultura, Mais Estágios para os estudantes, Mais intercâmbios nacionais e internacionais para os estudantes da rede pública. Os deputados precisam apresentar um PEC para aumentar a pena dos marginais e criminosos que estiverem aliciando e envolvendo as crianças e os adolescentes no mundo do crime. Os deputados que defendem a maior idade penal aos 16 anos, seguem lobistas que querem vender bebidas a menores, que querem ver menores dirigindo e estourando suas vidas e a de outras pessoas em automóveis e motos. Isso seria muito lucrativo para estas empresas. É preciso dizer que o nosso sistema carcerário encontra-se esgotado e hoje é a maior universidade da criminalidade qualificada em nosso país. Precisamos ficar atentos, pois as elites dominantes tentam destruir o futuros das populações jovens e pobres, pois o modelo neoliberal é amais selvagem crise do sistema capitalista. A luta continua, pois golpes e manobras serão orquestradas no congresso nacional.

    ResponderExcluir