Cuidado: animais na pista

Animais soltos. Imagem recente, de terça-feira, 28 de julho de 2015, às 18h30, próximo ao presídi...

Animais soltos. Imagem recente, de terça-feira, 28 de julho de 2015, às 18h30, próximo ao presídio velho de Guarabira,
ao lado do Corpo de Bombeiros, na principal para o Bairro do Juá.
No centro de Guarabira

Eu começo este artigo destacando a conivência da Prefeitura de Guarabira e do Governo do Estado quanto à não apreensão e recolhimento de animais soltos no perímetro urbano e nos limites do município de Guarabira (PB). Eu mesmo tenho flagrado e recebido informações de que animais continuam soltos, pastando e circulando livremente, sobretudo, pelas praças e canteiros da nossa cidade, como você pode ver nas fotos superiores. 

Dizem que há uma lei municipal que dispõe sobre o tema. Se ela existe, porém, não tem sido aplicada pela gestão de Zenóbio Toscano (PSDB). E o autor do projeto, um vereador não-identificado, pelo visto não está nem ai para colocá-la em prática. Se o prefeito não tem ciência do fato em virtude de seus compromissos, cabe, então, aos seus auxiliares deixá-lo informado e buscarem aplicar a referida lei, recolhendo animais e multando os donos, se possível.

Na rua do Cartório Eleitoral de Guarabira
Eu sei que este é um problema antigo. Acontece que a cena se repete diariamente e ninguém faz nada para solucionar. Nem durante o dia, quando ocorre o maior número de flagrantes, o setor competente da PMG - acredito ser a Secretaria de Agricultura - é visto tomando às devidas providências. A imprensa local, a meu ver, também tem sido omissa em não provocar e cobrar mais das autoridades: age como se este assunto não fosse de interesse público.

Eu recordo que no início do ano, por exemplo, uma unidade do SAMU colidiu com um animal após retornar de uma ocorrência na capital. Foi próximo ao antigo Marinnas. Ninguém se feriu. Mas a colisão matou um cavalo e tirou a unidade móvel avançada de circulação - pelo menos até que os danos fossem reparados no veículo. Perceba que a população, de certa forma, foi prejudicada por um momento - ficando com menos uma unidade de atendimento móvel.

Apesar dessa ocorrência que relatei e de vários óbitos registrados em acidentes de trânsito causados por animais soltos na pista, alguns irresponsáveis continuam soltando seus bichos, cientes do perigo que eles oferecem aos motoristas. À noite, então, nem se fala. Como se não bastasse aos condutores terem de lidar com a buraqueira e a sinalização precária nas estradas, ainda têm de atentar para não serem surpreendidos por um quadrúpede no caminho.

No canteiro próximo a Rodoviária Estadual
Sendo assim, como não está havendo atitude da PMG e do Estado, a minha recomendação é para você dirigir com cuidado, pois a qualquer momento pode ser surpreendido por animais na pista - na saída para Pirpirituba, nas proximidades do distrito industrial, perto do Terminal Rodoviário Estadual, às margens do canal do juá e até no centro da cidade de Guarabira. A qualquer hora do dia é possível flagrar bois e cavalos soltos, pelo menos nessas áreas. 

Enquanto preparava o meu comentário, me disseram que também há uma Lei estadual nesse sentido, de apreender animais soltos nas rodovias do Estado, e, se possível, identificar e multar o proprietário. Eu preciso apurar isso melhor. Contudo, se ela realmente existe, não funciona. E o Governo Estadual, sozinho, não tem estrutura para fiscalizar todas as rodovias da Paraíba. Este trabalho de fiscalização era para ser feito em parceria com municípios. Mas nada acontece.

Eu sei que não dá para implantar fiscalização 24 horas, todavia, a Prefeitura de Guarabira deveria pelo menos manter uma equipe de plantão em um período do dia, dando essa cobertura nos limites município. E se ainda não há lei específica para lidar com situações como esta na cidade, que o Executivo proponha algo que determine a apreensão imediata de animais soltos em via pública. Por enquanto, fica o alerta: cuidado, animais na pista. 

O que o blog sugere: que a partir de uma lei municipal, animais que estiverem soltos em via pública sejam recolhidos e, se identificado o proprietário, que lhe seja aplicada uma multa. Caso o dono não apareça em determinado prazo, o animal deve ser encaminhado para abate ou leilão em favor do município. Quem não tem espaço para criar animais desse porte, também não tem o direito de usar o espaço público como propriedade privada. #Política #Sociedade


*** 


Unidade do SAMU depois da colisão

Veja que situação

Entre Guarabira e Pirpirituba

Próximo ao terminal rodoviário estadual

No canteiro perto da Rodoviária



Você pode gostar também

0 comentários