Telefonia móvel e desserviço

Por Antônio Santos A telefonia móvel em Guarabira é algo de desesperador. No momento em que o usuário mais necessita, as linhas das pri...

Por Antônio Santos

A telefonia móvel em Guarabira é algo de desesperador. No momento em que o usuário mais necessita, as linhas das principais empresas que operam na cidade geralmente entram em pane, causando, além de angústia, enorme prejuízo para quem possui planos pós e pré-pagos.

Oi, Claro, Vivo e Tim são iguais em tudo. Não há como separá-las ou requalificá-las em termos de prestação de serviço, pois, diante de tantos outros produtos, apresentam-se como campeãs de reclamações junto aos órgãos de defesa do consumidor.

Paralelo aos serviços de qualidade execrável há, por conseguinte e para tristeza dos usuários, total desprezo quando o consumidor necessita de informação, conserto ou melhoramento nas linhas de transmissão de voz, sinais ou coisas que o valham.

O sistema de ajuda, todo guiado por telemarketing, funciona de forma dolosa, fazendo com que o usuário, muitas vezes desinformado, permaneça horas e horas com o aparelho telefônico ao ouvido, gastando tempo e com certeza dinheiro, pois, o espaço de espera, de uma forma e de outra, será cobrado em contas futuras, inclusive de modo implícito.

E não adianta procurar Procon, Ministério Público, as polícias Civil, Militar ou a Federal, pois, o emaranhado de fios de Oi, Tim, Vivo e Claro conduzem informações de tal sorte que, a cada tentativa de quem se aventura em decifrá-las, torna-se em vão tais objetivos, graças ao sistema enigmático e imune, criado com essa finalidade.

Como se observa, com todo esse desmantelo quem mais perde é o consumidor, principalmente por que ainda não foi criado órgão ou sistema eficiente a regular os desmandos e os desserviços dessas empresas, consideradas dentre as mais lucrativas do mercado de telefonia.

A cada ligação que se faz, o cliente contribui para os bolsões de riqueza dos principais acionistas de Oi, Tim, Claro, Vivo, dentre outras de mesmo gênero. A população guarabirense, por exemplo, ainda tem o alento de contar com a OAB a lutar por seus direitos, mas, sem muita esperança.

Infelizmente, enquanto tais empresas lucram mais e mais, ao consumidor é prestado péssimo, ineficiente e até doloso serviço. Infelizmente.
***

#Sociedade #Opinião

Você pode gostar também

0 comentários