Em 1988, Boris Casoy virou âncora do SBT sem Silvio Santos saber

Por Thell de Castro, do Notícias da TV Em 1988, com diferença de poucos meses, Carlos Nascime...

Por Thell de Castro, do Notícias da TV

Em 1988, com diferença de poucos meses, Carlos Nascimento, no Jornal da Cultura, e Boris Casoy, no TJ Brasil, do SBT, implantaram no telejornalismo brasileiro a figura do âncora, comum na TV dos Estados Unidos, onde o jornalista apresenta e comenta as notícias. No caso do SBT, Silvio Santos deu total independência ao departamento de jornalismo e não foi consultado sobre a contratação de Casoy.

Naquele ano, o empresário e animador contratou os jornalistas Marcos Wilson e Luiz Fernando Emediato, ambos do jornal O Estado de S.Paulo, para reformular o departamento de jornalismo. E o mais curioso é que o contrato previa que ele não poderia intervir no que estivesse sendo feito.

"Era surpreendente [a independência editorial], numa emissora que tinha como dono o Silvio Santos. No meu contrato, estava escrito que ele abria mão de qualquer ingerência no conteúdo, sob pena de pagar uma multa altíssima. Toda vez que algum deputado ligava para o Silvio para reclamar do nosso telejornal, ele dizia que não podia fazer nada. Foi muito divertido", declarou Emediato a Sérgio Miranda, da revista Negócios da Comunicação.

Reportagem da Folha de S Paulo de 31 de julho de 1988, semanas antes da estreia do TJ Brasil, informou que Silvio Santos não foi consultado sobre a contratação de Boris Casoy, egresso do jornalismo impresso. "O jornalista não vai mudar suas convicções só por causa da transferência para a TV. Nem o fato de ir para uma emissora cujo dono, Silvio Santos, que, aliás, nem foi consultado sobre sua contratação, mais de uma vez ter declarado sua preferência por um jornalismo morno e róseo", trazia o texto.

Casoy, aliás, destacou que pretendia realizar o oposto do que as demais emissoras faziam na época: "O telejornalismo atual se ressente de direcionar fatos, explicar, comentar, supervaloriza a forma em detrimento da informação. Não chega nem a refletir o físico do povo brasileiro. Quero mostrar o brasileiro como ele é. Os com dentes e os sem dentes".

Ele chegou a citar o Jornal Nacional, "por considerar que não é independente nem apartidário e que está em total dessintonia com a realidade brasileira, embora ressalve que é muito bem feito".

Cláusulas

Só que o projeto do SBT enfrentou algumas dificuldades iniciais. A principal foi o próprio contrato entre Silvio Santos e os novos diretores de jornalismo. "Se encontram cláusulas como não criticar o ser humano e, sim, procurar encontrar qualidades nele e em suas realizações, além da proibição a qualquer tipo de denúncia, investigação, inquérito etc., limitando-se a dar a notícia correta", informou a reportagem da Folha.

Wilson e Emediato queriam resolver esses problemas, privilegiando a informação segundo critérios absolutamente editoriais e buscando a precisão. "A leitura correta da polêmica cláusula está muito mais próxima da objetividade e justiça jornalística: abster-se de fazer denúncias não fundamentadas pelo poder legal, fazer com que jornalistas e comentaristas deixem de lado opiniões pessoais, e ouvir todas as partes envolvidas em qualquer fato que mereça atenção por parte da emissora", afirmou Emediato.

O TJ Brasil estreou dia 22 de agosto de 1988 e logo conquistou boa audiência. No início dos anos 1990, os comentários de Boris Casoy durante as crises do governo Collor tiveram muita repercussão. O telejornal foi exibido até 26 de dezembro de 1997, poucos meses após o âncora seguir para a Record.

***

#SintoniaFina #Comunicação

Você pode gostar também

0 comentários