Preservar, compartilhar e prestigiar quem escreve nossa história

O prefeito Zenóbio Toscano (PSDB) inaugurou recentemente um museu do cordel na cidade de Guarabira (PB), considerando que o município é ter...

O prefeito Zenóbio Toscano (PSDB) inaugurou recentemente um museu do cordel na cidade de Guarabira (PB), considerando que o município é terra de José Camelo de Melo Resende, autor do “Pavão Misterioso” – o maior cordel do mundo – e que também já foi polo de impressão de folhetos na região.

Apesar da confusão entre a Prefeitura de Guarabira e um movimento artístico da cidade, o local já tem sido bastante visitado, principalmente por estudantes da rede pública e particular de ensino. É justamente isso que a gestão deseja: tornar o lugar uma referência para estudantes e pesquisadores da poesia popular, por exemplo.

O acervo exposto no museu é ainda muito pequeno, porém relevante. Assim, então, eu sugiro que a direção pense na ideia de reservar uma estante para expor e colocar a disposição dos visitantes, livros escritos por guarabirenses ou sobre o município de Guarabira, de forma mais específica – além da opção que o visitante tem de ir à biblioteca municipal.

E eu iria mais além! Como sugerir não faz mal, seria interessante que a PMG comprasse exemplares de livros relacionados ao município – pelo menos os que estivessem disponíveis no mercado – e distribuísse entre os professores em sorteio durante esses encontros de formação continuada. Alguém mais aqui concorda com essa ideia?

O governo municipal poderia também reeditar o livro “Casa Osório de Aquino – História de um parlamento”, do professor Vicente Barbosa; também outro livro escrito pelo ex-vereador Aedson Cunha, e, logicamente, adquirir exemplares da obra mais recente sobre Guarabira, recém-lançada pelo jornalista Nonato Nunes.

Eu fico por aqui, torcendo para que o professor Raimundo Macedo, secretário de Educação de Guarabira; e Percinaldo Toscano, atual secretário de Cultura, proponham algo nesse sentido ao prefeito. E que Zenóbio seja sensível em preservar e compartilhar sobre a história de Guarabira, sem deixar de prestigiar quem a escreve. #Cultura #Política

Você pode gostar também

0 comentários