Abrindo mão do que é seu para abraçar o que é do povo

O tempo não para. E na política, então, não fazer bom proveito do tempo devido algumas indefinições, por exemplo, pode frustrar pré-candida...

O tempo não para. E na política, então, não fazer bom proveito do tempo devido algumas indefinições, por exemplo, pode frustrar pré-candidatos e partidos. Assim, eu acho que já está na hora dos líderes políticos de Guarabira (PB), principalmente os que aspiram ser prefeito, atentarem para os reclames da população e definirem suas posições.

Embora o advogado e radialista Célio Alves venha ocupando preciosos espaços no rádio guarabirense como se fosse candidato de si, o empresário João Rafael de Aguiar também figura na lista dos pré-candidatos a prefeito - sendo o mais assediado -, porém é o principal indeciso. Indeciso quanto ao que escolher como marca: uma rosa ou um girassol.

Depois da convenção da renovação do diretório municipal do PMDB de Guarabira - quando seu João Rafael foi ovacionado pelo público, eu imagino que o empresário já tenha se decidido: se permanece no PTB, se vai para o PMDB para ser candidato ou se filia ao PSB. Mas ainda aguardo a publicação de sua definição, como toda Guarabira.

O grupo Paulino, do PMDB, já abriu mão de seu direito, cedendo espaço para JR ser o candidato da legenda. Há, inclusive, uma lista de assinaturas de caciques pemedebistas legitimando o interesse do grupo em que o aliado do governador Ricardo Coutinho se filie e também, com apoio dos “girassóis”, tenha condições de vencer as eleições de 2016.

Nesta terça-feira (15), o vereador Malaguty e o empresário João Rafael se encontram com lideranças do PMDB em Brasília. Depois desse encontro talvez JR se defina: se fica com o PMDB, um grupo que tem história e serviço prestado em Guarabira; ou se filia ao PSB, do grupo “girassóis” que tem se aproveitado de sua estrutura de poder: das rádios, por exemplo.

Em entrevista ao jornalista Rudney Araújo, o dono das rádios Cultura AM e Rural AM declarou que quando saiu do PTB o fez por conveniência política. Se houver uma nova troca de partido, seja para o PMDB ou PSB, será por conveniência ou convicção, seu João?

Na disputa eleitoral do ano que vem, Paulino não tem nada a perder - apenas um crédito de confiança por ter empenhado a palavra para lançar um candidato a prefeito como João Rafael, que não tem perfil político nem tamanha popularidade entre os seus.

Se seu JR for mesmo o candidato pelo PMDB ou PSB, eleito, ele tem todas as condições de fazer um bom governo. Mas se fizer uma gestão impopular, eu não tenho dúvidas: ele abandonará a política, independente de ter uma rosa ou girassol como marca.

Em Guarabira o empresário JR é um dos maiores empregadores e um dos responsáveis pelo equilíbrio econômico da região. Como prefeito ele não terá a mesma autonomia que tem em suas empresas, afinal gerir o que é público é diferente de administrar o que é seu.

Cabe ao aspirante a prefeito, escolher o seu futuro: primeiro em qual partido deseja estar, depois se tem coragem de ser candidato enfrentando o prefeito Zenóbio, e se está disposto a se ausentar um pouco de suas empresas para se dedicar ao governo municipal. 

Como prefeito, João Rafael deve abrir mão do que é seu para abraçar o que é do povo, pelo menos enquanto estiver no cargo - claro (!), e se ele for candidato nas eleições de outubro de 2016 e, sobretudo, se vencer a eleição. 

Você pode gostar também

1 comentários

  1. 2016 ELEIÇÕES OU A FARSA CONTINUA - Rumores antigos pairam novamente sobre um antigo acordo entre ZT e RP para administrar Guarabira a cada dois mandatos, parece que esses rumores são verdadeiros. Nada impede que RP ou seus familiares se lancem candidato(a)s em 2016, ao invés de ficar empurrando para o precipício o empresário JR a quem todos sabem de sua rejeição política por grande parte da população da terra das garças azuis, mesmo sendo ele um abonado de bens materiais. Seria muito bom ver uma batalha política nas eleições de 2016 entre criador e criatura. Seria uma verdadeira prova de fogo DOS DRAGÕES do poder político de Guarabira. Porque os jornais não fazem essa indagação a RP já que ele é quem faz esse jogo de empurra? gostaria muito de ouvir a resposta dele sobre essa não decisão.

    ResponderExcluir