Dólar a R$ 4,00: Globo chama Renato Machado e três 'medalhões' de volta ao Brasil

Por Daniel Castro, do Notícias da TV A Globo vai trocar em janeiro quatro de seus corresponde...

Por Daniel Castro, do Notícias da TV

A Globo vai trocar em janeiro quatro de seus correspondentes internacionais. Voltarão ao Brasil Renato Machado e Roberto Kovalick, de Londres, André Luiz Azevedo, de Lisboa, e Helter Duarte, de Nova York. Considerados "medalhões", todos serão substituídos por jornalistas menos conhecidos, que ganham no máximo 30% do que eles. O anúncio foi feito na sexta-feira (25) à noite, em comunicado interno, por Ali Kamel, diretor-geral de Jornalismo da Globo _encerrando uma semana em que o dólar passou dos R$ 4,00.

Renato Machado não será substituído em Londres, onde está há quatro anos. Suas funções serão acumuladas por Cecília Malan, que passará a fazer entradas diárias ao vivo no Bom Dia Brasil, telejornal que Machado apresentou até 2011. De volta ao Brasil, ele será repórter exclusivo do Globo Repórter.

Já Kovalick, que antes de Londres passou por Nova York e Tóquio, atuará como repórter especial em São Paulo. Na capital britânica, terá dois substitutos: Ernani Lemos assumirá suas funções de coordenador do escritório e Pedro Vedova, atualmente em Berlim, tomará seu lugar nas reportagens.

Assim como Vedova, outro correspondente da GloboNews substituirá Helter Duarte em Nova York. Será Sandra Coutinho. Sandra já vinha colaborando com o Jornal Nacional desde julho, por iniciativa de William Bonner, como recompensa por ter tomado uma "chinelada" de Barack Obama. Durante entrevista de Dilma Rousseff ao lado de Obama, Sandra perguntou à presidente como ela via o fato de os Estados Unidos não considerarem uma potência global. Diante da saia justa, o presidente Obama tomou a iniciativa de responder que os EUA veem o Brasil, sim, como um "grande ator global".

Os substitutos de Azevedo em Lisboa e Vedova em Berlim "serão anunciandos a seu tempo", de acordo com a nota de Kamel. Na GloboNews, a vaga de Sandra Coutinho em Nova York ficará com Michele Marinho, editora internacional do canal no Rio.

No comunicado, Kamel anunciou que os retornos de Renato Machado e Roberto Kovalick ao Brasil já estavam previstos. Helter Duarte, no entanto, ficaria nos Estados Unidos até o final de 2016. Só voltaria após as eleições presidenciais.

Na Globo, os jornalistas atribuíram as mudanças à alta do dólar. O pagamento aos correspondentes é feito na moeda local, mas o cálculo do salário é atrelado ao dólar. Um jornalista, hipoteticamente, vai para a Europa para ganhar US$ 20 mil mensais e recebe o equivalente na moeda local. Renato Machado e Roberto Kovalick, portanto, são remunerados em libras, moeda que também vem subindo _na sexta, fechou cotada a mais de R$ 6,00.

Kamel aproveitou o comunicado para elogiar os jornalistas. Disse que Kovalick fez "um trabalho brilhante, que certamente servirá de inspiração a futuros correspondentes". Machado, escreveu o chefe, "demonstrou mais uma vez o grande profissional que é". Azevedo produziu "reportagens de fôlego e muita dedicação". E Helter Duarte fez "coberturas excepcionais".
***
#SintoniaFina

Você pode gostar também

0 comentários