A favor da privatização

Todo dia falta água no município de Guarabira (PB). O mesmo também ocorre nas demais cidades da r...

Todo dia falta água no município de Guarabira (PB). O mesmo também ocorre nas demais cidades da região. Há anos isso acontece. E as autoridades e a própria Cagepa não tomam uma providência. O consumidor, então, é o principal prejudicado. A quem recorrer?

Se você sintonizar as rádios de Guarabira, por exemplo, durante os noticiários locais, vai ouvir inúmeros apelos relacionados à falta de água nos bairros da cidade. A água não chega! Mas a conta vem e a população paga, sem desconto, e até sem consumir.

O problema da Cagepa não está nos servidores concursados. Eles estão na empresa para trabalhar, embora sem a devida estrutura. O problema é antigo. Tem a ver com a falta de investimento por parte das gestões que transformaram a estatal num ‘cabide de emprego’.

Além do abastecimento comprometido, a assistência ao cliente está ficando cada vez mais limitada. Desde o mês de fevereiro, por exemplo, quando a nova gestão assumiu, que a empresa que vende água aos paraibanos não verifica casos de vazamento em residências.

Antes, havendo necessidade, a Cagepa enviava alguém para, pelo menos, fazer uma visita e identificar um vazamento. Agora, cabe ao cliente procurar um especialista para apontar e resolver problemas de vazamento. Essa decisão tem causado transtorno a população.

Um atendente me disse ainda que se eu achar que há um erro e solicitar uma visita de um técnico da Cagepa para verificar o hidrômetro, não havendo defeito, o cliente paga uma taxa de R$ 180 pela vistoria, cobrança nova que virá especificada na conta do próximo mês.

Falta investimento no sistema de abastecimento hídrico e, por consequência, continua faltando água na casa do povo. É por conta disso, das interrupções constantes no fornecimento de água, e de não haver a quem recorrer, que, hoje, eu sou a favor da privatização da Cagepa.

E você, leitor? É contra ou a favor da privatização da Cagepa? #Política #Sociedade

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Eu fiz um comentário no Programa a Hora da Noticia, elogiando o editorial sobre a Cagepa. Volto a afirmar que concordo com todas as críticas levantadas pelo radialista e blogueiro Joseilton Gomes (Ikeda), mas por uma questão de principio em defesa da soberania popular, sou contra todo e qualquer tipo de privatização de empresas, órgãos ou agências públicas em qualquer escala: municipal, estadual ou federal. Privatizar algo que é público, quebra com o principio de soberania popular, sob um patrimônio que em tese deve ser de todos. Sobre a questão da água, ou de agência que manipula recursos públicos para tratamento, outorga e distribuição de água ou energia, não deveríamos em hipótese alguma, pensar na possibilidade em privatizar, pois representam setores estratégicos em qualquer país ou em seus fragmentos territoriais. Sabemos que existe na atualidade uma geoestratégia internacional, pelo controle e gerenciamento de recursos renováveis como a água. Na discordância da privatização, mas em toda a concordância em relação as críticas feitas a CAGEPA, coloco aqui que, que precisamos URGENTEMENTE colocar a companhia de água e esgota da Paraíba em xeque. Pois é impossível permanecermos admitindo tantos problemas insolúveis, quando a companhia é uma das maiores arrecadadoras de recursos do Estado. Muitas vezes, recebe por um serviço que é feito. Mesmo admitindo uma crise de abastecimento, uma crise hídrica decorrente de secas prolongadas, de destruição das bacias hidrográficas e nenhuma política de recuperação. O maior problema hoje é de gerenciamento, a companhai parece que virou um cabide de empregos e sub-empregos, por apoios políticos aos que estão nas diferentes esferas do poder estadual. sérios e completos problemas de vazamentos por todos os lugares, esgotamento incompleto e leitos de rios completamente poluídos. Nenhuma política de URGÊNCIA para sanar tais problemas. Cabe ao Ministério Público, a Assembleia Legislativa e ao Conselho estadual de segurança hídrica enquadrar a Cagepa. Uma CPI, uma auditoria geral na companhia. Essa seria a solução mais sensata. A energia foi privatizada...e hoje vivemos uma concorrência de livre mercado...avassalador...contas insuportáveis....não queremos o mesmo com a Cagepa.

    ResponderExcluir