Bancários acabam greve na Paraíba e 24 estados

Do G1 Após 21 dias de paralisação, bancários de 24 estados e do Distrito Federal decidiram, na noite desta segunda-feira (26), encerrar...

Do G1

Após 21 dias de paralisação, bancários de 24 estados e do Distrito Federal decidiram, na noite desta segunda-feira (26), encerrar a greve da categoria, iniciada no dia 6 de outubro. Em todos os bancos privados, as agências voltam a funcionar nesta terça-feira (27). Em alguns estados, os funcionários dos bancos públicos decidiram manter a greve. (Veja abaixo a situação em cada estado).

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria. Os sindicatos nos estados deMato Grosso e Roraima rejeitaram a proposta e decidiram manter a greve em todos os bancos.

Veja onde a greve chegou ao fim, total ou parcialmente:

– ACRE
Funcionários de bancos privados e do Banco do Brasil decidiram encerrar a greve. Na Caixa Econômica Federal e no Banco da Amazônia, entretanto, a paralisação continua.

– ALAGOAS
Além dos bancos privados, funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) também decidiram pelo fim da paralisação.

– AMAPÁ
Os bancários aceitaram a proposta, e todas as agências retomam o trabalho nesta terça (27).

– AMAZONAS
Funcionários do Banco do Brasil e de bancos privados decidiram encerrar a paralisação. Apenas os bancários da Caixa Econômica Federal e do Banco da Amazônia (Basa) seguem em greve.

– BAHIA
Trabalhadores de bancos públicos e privados na Bahia decidiram encerrar a greve. Apenas funcionários do Banco do Nordeste decidiram continuar a paralisação.

– CEARÁ
Os funcionários dos bancos privados decidiram encerrar a greve. A paralisação continua no Banco do Brasil, Banco do Nordeste (BNB) e Caixa Econômica Federal.

– DISTRITO FEDERAL
Bancários decidiram terminar a greve da categoria nos bancos privados e no Banco do Brasil. Os funcionários do Banco de Brasília (BRB) seguem em greve, e os da Caixa farão uma nova assembleia nesta terça-feira.

– ESPÍRITO SANTO
Bancários decidiram encerrar a greve.

– GOIÁS
Funcionários dos bancos privados e do Banco do Brasil encerraram a greve. Bancários da Caixa Econômica Federal seguem com a paralisação.

Sindicato decidiu pelo fim da greve. Apenas as agências do Banco do Nordeste e Banco da Amazônia continuarão fechadas.

– MATO GROSSO DO SUL
Os bancários do estado decidiram encerrar a greve.

Os trabalhadores de Belo Horizonte e região decidiram encerrar a greve da categoria, assim como os bancários de Uberlândia e de Uberaba.

Bancários das instituições privadas e do Banco do Estado do Pará (Banpará) encerraram a greve. A paralisação continua no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal.

Os bancários de Campina Grande e região decidiram encerrar a greve.

Os bancários de Curitiba e Região Metropolitana decidiram encerrar a greve.

Os bancários do Piauí decidiram encerrar a greve. A informação foi confirmada pela diretoria de recursos humanos do Sindicato dos Bancários do Piauí.

Os funcionários dos bancos privados decidiram encerrar a greve. No Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal, os bancários decidiram seguir com a paralisação.

A categoria aceitou voltar ao trabalho. Funcionários de entidades privadas e públicas – da capital e do interior – se dividiram em votações diferentes, mas o resultado foi o mesmo em todas as assembleias.

 RIO GRANDE DO NORTE

Assembleia decidiu que a greve será mantida apenas nos bancos públicos: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste. Os bancos privados voltam a funcionar nesta terça-feira (27).

Os funcionários dos bancos privados decidiram pelo fim da greve. Em relação aos bancos estatais, ainda não foi divulgada a decisão da categoria.

Em Santa Maria, a greve também acabou. Em Rio Grande, no Sul do estado, apenas funcionários do Banco do Brasil seguem em greve. Nas regiões de São Sebastião do Caí, Santa Cruz do Sul e Ijuí, novas assembleias serão realizadas a partir das 8h de terça-feira (27) para definir a situação.

Os funcionários do Banco do Brasil e bancos particulares decidiram pelo fim da greve. Os bancários da Caixa Econômica Federal optaram por continuar parados.

Bancários de bancos privados, da Caixa e do Banco do Brasil na Grande Florianópolis e todos da região de Criciúma, no Sul do estado, decidiram encerrar a greve. Outras regiões ainda fazem assembleias.

O sindicato do estado de São Paulo decidiu pelo fim da greve. Os bancários deLimeira também encerraram a greve. Segundo o sindicato da categoria, que engloba também a cidade de Iracemápolis (SP), as 34 agências públicas e privadas dos dois municípios já foram abertas nesta segunda-feira (26).

Os bancários de Sorocaba e região aprovaram fim da greve. As agências bancárias públicas e privadas do Alto Tietê também retomam o atendimentonesta terça. Em Piracicaba, São José do Rio Preto, Araçatuba e região , São Carlos, Araraquara e Rio Claro e região e Campinas a decisão também foi o fim da greve.

Os bancários do estado encerraram a greve.

Bancários decidiram retomar o trabalho na terça.

Reajuste salarial de 10%

A última proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaba) ofereceu reajuste salarial de 10%, aplicáveis aos salários, benefícios e participação nos lucros, além de correção de 14% no vale-refeição e no vale-alimentação.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), os bancos aceitaram também abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para os trabalhadores de 8 horas, de um total de 112 horas. Assim, após a volta ao trabalho, os bancários irão compensar, no máximo, uma hora por dia útil, até o dia 15 de dezembro.

Inicialmente, os bancos ofereceram um reajuste de 5,5%, enquanto os bancários reinvindicavam uma correção de 16% nos salários.

“A nova proposta da Fenaban, apresentada no 19º dia da greve, significa a manutenção do modelo que vinha sendo colocado em prática nos últimos anos, de reposição integral da inflação mais aumento real e abono parcial dos dias parados”, informou a Contraf, em nota.

Em 12 meses, até setembro, a inflação acumulada chegou a 9,77%, segundo o IPCA-15, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A greve da categoria entou nesta segunda-feira em seu 21º dia. Durante a paralisação, mais de 12 mil das 22.975 agências instaladas no país chegaram a fechar as portas para o público.

Greves em 2013 e em 2014

No ano passado, os bancários fizeram uma greve entre 30 de setembro e 06 de outubro. Os trabalhadores pediam em reivindicação inicial reajuste salarial de 12,5%, além de piso salarial de R$ 2.979,25, PLR de três salários mais parcela adicional de R$ 6.247 e 14º salário. A categoria também pedia aumento nos valores de benefícios como vale-refeição, auxílio-creche, gratificação de caixa, entre outros. A greve foi encerrada após proposta da Fenaban de reajuste de 8,5% nos salários e demais verbas salariais, de 9% nos pisos e 12,2% no vale-refeição.

Em 2013, os trabalhadores do setor promoveram uma greve de 23 dias, que foi encerrada após os bancos oferecerem reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%. A duração da greve na época fez a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) pedir um acordo para o fim da paralisação, temendo perdas de até 30% nas vendas do varejo do início de outubro.
***

#Sociedade

Você pode gostar também

0 comentários