Censurada no SBT, Sheherazade lança livro com críticas e polêmicas

Do Blog Sala de TV Representante do pensamento conservador na mídia, Rachel Sheherazade perde...

Do Blog Sala de TV

Representante do pensamento conservador na mídia, Rachel Sheherazade perdeu espaço privilegiado no SBT Brasil, onde fazia comentários considerados polêmicos.

Hoje, ela lê os textos gerados no teleprompter e praticamente não emite opiniões. Desde que a direção da emissora impôs essa condição, o telejornal deixou de repercutir na imprensa.

Sheherazade continua sua cruzada particular contra a esquerda num blog, no Twitter e ao microfone do Jornal da Manhã na Rádio Jovem Pan.

Em novembro, ela lançará o primeiro livro, ‘O Brasil Tem Cura’, pela editora Mundo Cristão. Em 144 páginas, a âncora analisa problemas políticos e sociais do país e indica possíveis soluções.

No site da editora existe a seguinte definição: ‘Uma obra contundente que revisita importantes momentos políticos de nossa história e resgata temas e valores como justiça, segurança, respeito, cidadania, patriotismo e ética, bens que, segundo ela, tornam uma pátria um lugar digno de viver’.

“O Brasil convalescente precisa de cura, libertação e restauração. E, acredite, a salvação deste país depende, também, de você. Desejo que este livro o ajude a renovar suas esperanças no Brasil e o inspire a ser um agente de transformação, a começar por seu exemplo pessoal, ao converter pensamentos em palavras, palavras em ações e ações em revolução”, escreve Sheherazade.

O prefácio de ‘O Brasil Tem Cura’ é do historiador e comentarista do Jornal da Cultura Marco Antonio Villa, emblemático crítico do PT, da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, por quem está sendo processado por críticas feitas na TV. Sheherazade e Villa são colegas de microfone na Jovem Pan.

“A obra se guia pelo pressuposto de que o país só será passado a limpo se cada brasileiro fizer a sua parte e passar a agir com integridade inegociável, ensinando essa postura às futuras gerações. O Brasil tem cura é uma reflexão criativa e pessoal sobre a conjuntura complexa que vive o nosso país”, escreve Villa, classificando o livro como ‘corajoso e propositivo’.

Os desafetos de Rachel Sheherazade — e são muitos — certamente vão acusá-la de interpretar os problemas do Brasil, e indicar as tais ‘libertação e restauração’, baseada nos preceitos de sua fé evangélica e da ideologia antipetista.

Confrontos à parte, o livro suscitará discussões sobre os rumos do país — e essa consequência é sempre positiva, especialmente num momento tão complexo da vida política brasileira.
***

#SintoniaFina #Política

Você pode gostar também

0 comentários