João Rafael “detona” Presidência Municipal do PSB e diz que quer comando do partido em Guarabira

Do Fato a Fato Em entrevista a uma de suas emissoras de rádio na manhã deste domingo (25), o ...

Do Fato a Fato

Em entrevista a uma de suas emissoras de rádio na manhã deste domingo (25), o empresário João Rafael de Aguiar (PTB) “detonou” a Presidência do PSB municipal, dizendo que a partir de então quer o comando da legenda para tentar unir as oposições, tendo em vista a eleição do próximo ano em Guarabira.

Sem citar, nominalmente, o radialista mariense Célio Alves (presidente do PSB de Guarabira), João Rafael afirmou, com todas as letras, que quem está dificultando e impossibilitando uma aliança com o PMDB é o responsável pela Comissão Provisória do partido. “Por isso é que só retomo as negociações se o Partido Socialista Brasileiro local estiver sob meu comando”, decretou JR.

- Quem está impedindo a composição com o PMDB é a Presidência Municipal do PSB, juntamente com uma “patotinha”, ou seja, dois ou três que só pensam em si. Esses integrantes, sem conhecimento do governador, vivem utilizando os cargos públicos (no caso do Governo do Estado) para perseguir as pessoas. Tais procedimentos não nos leva a lugar nenhum. E se permanecerem agindo assim, vão favorecer o atual gestor – criticou.

Numa reunião da Ala Girassol, realizada semana passada, JR disse não ter participado por que já sabia do que iriam tratar. "Não fui, nem vou mais. Os temas tratados nestes encontros não avançam em termos de composição, de aliança e são tratados apenas por uma patotinha".

Durante a entrevista, concedida ao radialista Raelson Galdino, no Grande Jornal 850 (Rádio Rural AM – Edição de Domingo), João citou exemplos de casos de perseguição a funcionários públicos, protagonizados pela Presidência do PSB de Guarabira.

O empresário disse que, quando determinada pessoa é nomeada para algum cargo do Governo do Estado em Guarabira, não pode mais se deixar fotografar com adversários políticos do governador. “Tem caso aqui que, estando o servidor exercendo função gratificada em repartição do Governo, e é visto conversando com aliados de Toscano ou Paulino, primeiro recebe advertência e em seguida é demitido pela Presidência do PSB. Isto é absurdo. Não faço política com vingança e perseguição”, repeliu João Rafael.

JR disse ter recebido convite para se filiar ao PSB, mas não assinou a ficha do partido por causa deste tipo de comportamento de algumas de suas lideranças. Ele também lembrou o chamamento do PMDB de Guarabira, partindo inclusive do ex-governador Roberto Paulino.

Em relação a Ala Girassol, João Rafael destacou a liderança exercida pelos sete vereadores (Jáder Filho, Marcelo Bandeira, Lucas Porpino, Beto Meireles, Gerson do Gesso, Bica e Costinha). No instante em que elogiou os parlamentares, o empresário não citou os nomes de Célio Alves, nem o de José Agostinho (Josa da Padaria), ex-vice-prefeito de Guarabira.

Mallaguty - A entrevista de João Rafael, na manhã deste domingo (25), foi acompanhada, de dentro dos estúdios da Rádio Rural, pelo vice-presidente municipal do PMDB, vereador Armando Mallaguty.

Perseguição – Já no final do jornalístico, uma senhora ligou para a emissora e disse que vota em Ricardo Coutinho desde seu primeiro mandato de governador, mas na eleição do ano passado, mesmo votando nele novamente, foi demitida do cargo do Governo do Estado em Guarabira por Célio Alves e Beto Meireles, só por ter acompanhado Camila Toscano, deputada eleita e filha do prefeito Zenóbio.
***


Últimas da política de Guarabira

João Rafael diz que não conhece Deda Claudino, pré-candidato a prefeito de Guarabira pelo PMDB


Pode isso? Novo no PMDB, Deda Claudino, detona JR que era o predileto de Paulino


Você pode gostar também

0 comentários