TV analógica não será desligada no prazo estabelecido

Por Flávio Ricco Estou apostando, e apostando alto, que o processo de desligamento da TV analógica no Brasil não irá ocorrer dentro dos...

Por Flávio Ricco

Estou apostando, e apostando alto, que o processo de desligamento da TV analógica no Brasil não irá ocorrer dentro dos prazos estabelecidos e dados a conhecer pelo Ministério das Comunicações.

Como tantas outras questões em nosso país, esta é só mais uma em que as autoridades responsáveis, sem uma avaliação mais profunda, acharam e talvez ainda entendam que qualquer definição sobre o assunto pode ser resolvida baixando um simples decreto. Tudo indica o contrário e não por culpa das emissoras, porque da parte delas as providências tomadas já atingiram estágios bem avançados, mas por todos os outros fatores que inevitavelmente se integram ao problema.

Hoje são 60 milhões de domicílios e a maioria deles ainda não está aparelhada para recepção em digital, seja através dos próprios televisores ou de conversores. Num país, com uma crise desse tamanho, como obrigar ou querer convencer alguém a investir nisso agora em vez de qualquer outro produto de primeira necessidade?

Não bastasse, levando a questão com todos os rigores, como privar o povo da sua maior fonte gratuita de lazer que é a televisão? E, por último, será que alguém esqueceu que 2016 será um ano de eleições? Já pensou moradores das regiões do Distrito Federal, São Paulo, Belo Horizonte, Goiânia, Rio de Janeiro, Curitiba e Florianópolis, todas previstas para terem o sinal analógico cortado no ano que vem, sem acesso ao horário político?

Alguém aposta?
***
#SintoniaFina


Você pode gostar também

0 comentários