Um abraço e um adeus. Descanse em paz, professora

Eu sei que palavras não consolam quando o momento é de dor. Muita dor. Muitas vezes não há nem pa...

Eu sei que palavras não consolam quando o momento é de dor. Muita dor. Muitas vezes não há nem palavras para expressar tal sentimento. Quando isso ocorre, então, resta apenas o olhar. Um olhar pesado de dor e de saudades. De saudades eternas de quem um dia foi importante para nós - de alguém que partiu para a eternidade.

A morte da professora e educadora Detinha Diogo (80), proprietária do tradicional Colégio da Luz de Guarabira (PB), me pegou de surpresa na tarde desta quinta-feira (22). Aliás, pegou todo mundo de surpresa. Mais uma das minhas professoras, agora, dorme para sempre. O momento requer meu silêncio e o silêncio de ex-alunos e estudantes da escola.

Uma parte da minha vida eu passei nas salas do Centro Educacional Nossa Senhora da Luz, sob a disciplina que me era proposta por dona Detinha e pelos demais professores da época. Os frutos dessa disciplina eu ainda colho hoje, sobretudo como legado abstrato de quem um dia sorriu para mim e me disse: “você tem futuro, garoto!”

Apesar da pouca idade, eu escolhi acreditar nas palavras daquela mulher. Acredito: foram palavras sinceras de quem dedicou uma vida inteira à educação de base. Hoje estou aqui dando este breve testemunho de que valeu a pena estudar e prestar atenção nas aulas 'chatas' de Ética e Cidadania, cuja professora titular era a própria Detinha Diogo.

Foi no CENSL que eu vivi alguns dos melhores momentos da minha vida. Não só como estudante, mas como pessoa – embora eu também considerasse a disciplina do colégio rígida demais. Mas como diz a canção popular: “se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi”. Pena que essa época não volta mais. Eu viveria tudo outra vez...

Tudo tem seu tempo, é verdade. “Há tempo de nascer, e tempo de morrer” (Eclesiastes 3: 2ª). A Bíblia diz que há tempo para todo propósito debaixo do céu. Sendo assim, quero aproveitar o espaço de tempo que me resta para agradecer a quem acreditou em mim e declarou isso olhando nos meus olhos. Ela se foi, mas deixou seu legado. 

Obrigado, professora Detinha - por cada abraço que a senhora me deu durante as minhas exposições nas Feiras de Ciências do CENSL e também durante a entrega dos meus boletins, quando a senhora comemorava minhas aprovações. Naquele tempo um abraço não fazia muito sentido para mim, porém eu me sentia acolhido e amado. 

Neste momento em que a saudade aperta o coração, me uno a tantos outros em oração. E assim como os muitos estudantes do CENSL que, entristecidos, se abraçaram no final da tarde desta quinta, devolvo todos os abraços que a senhora me deu, como seu último abraço, a cada pessoa que, como eu, sente a sua ausência. A vida segue seu curso.

Descanse em paz, professora. Jesus vive! Do seu ex-aluno, 'Iltinho'. Que Deus conforte a família nesse momento difícil. #Sociedade #Luto

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Em nome de toda a família Diôgo de Lima, obrigado pela bela mensage. Mamãe tinha razão:"você tem futuro, garoto!".
    Ass. Samuel Diôgo

    ResponderExcluir