Legislativo medíocre

A população de Guarabira (PB) tem perdido o interesse em assistir as sessões de vereadores na Câmara Municipal . É um fato constatado. Pouq...

A população de Guarabira (PB) tem perdido o interesse em assistir as sessões de vereadores na Câmara Municipal. É um fato constatado. Pouquíssimas pessoas têm acompanhado o trabalho dos 15 vereadores, pelo menos, na atual legislatura.

Realmente, o debate no legislativo local tem chegado a um nível tão baixo, tão aquém do esperado, que não desperta qualquer interesse no eleitor guarabirense. Já há, inclusive, quem defina a então legislatura como a pior dos últimos tempos.

Ontem mesmo, no programa de rádio que apresento com Antônio Santos, um ouvinte participou pela rede social Facebook questionando, justamente, a perda de tempo do legislativo guarabirense com debates de interesse partidário e propostas de interesse individual. 

Os temas expostos ultimamente na tribuna da Casa, de fato, pouco têm beneficiado a população e contribuído para o crescimento social, cultural e econômico da cidade. Basta ouvir a rádio alternativa, que transmite as sessões, para chegar a essa conclusão.

O bate papo que ocorre, diariamente, entre várias pessoas no interior do “Califado do bem” (Banca Central das Revistas), no centro de Guarabira, tem sido mais instigante, interessante e, sobretudo, esclarecedor do que qualquer discurso parlamentar na Câmara de Guarabira.

Enquanto quem tem mandato - com poucas exceções - passa a tarde aprovando voto de aplauso, medalha (para quem não merece) e requerimento solicitando lâmpadas, por exemplo, há quem esteja comentando temas de interesse público, porém sem mandato.

Diante de um legislativo medíocre, tomando como base o que ouço na rádios e nas conversas com amigos, por exemplo, eu gostaria de pontuar aqui 15 sugestões de pauta, que poderiam ordenar a palavra de cada parlamentar na tribuna da Câmara de Guarabira:

1 Política habitacional – o Governo do Estado e a Prefeitura de Guarabira, na atual gestão, não têm construído casas populares para diminuir o déficit habitacional no município. Essa cobrança deve ser constante e compete aos vereadores, sobretudo. Em abril de 2013, o governador Ricardo Coutinho anunciou um investimento de R$ 19.410.000,00 (mais de dezenove milhões) para construção de mais de 290 unidades habitacionais. Até agora nada.

2 Municipalização do trânsito – o trânsito de Guarabira foi municipalizado, mas até o momento a guarda municipal não entrou em atividade. Porém há quem esteja recebendo salário no cargo. Enquanto isso, a população está desassistida, pois não há mais efetivo militar e a CPTran tem trabalhado, apenas, em favor da “indústria” da multa no Estado. Se só compete ao Governo fiscalizar emplacamento, a CPTran deveria fiscalizar também os veículos, não somente as motos como vem ocorrendo. Cabe aos vereadores colocar o assunto em discussão.

3 Fumaça tóxica do lixão –  há dias a população de Guarabira vem sofrendo com uma fumaça tóxica gerada pela química de material queimado no lixão. A maior incidência ocorre à noite, quando a nuvem escura encobre todo o céu do município. A atual gestão tem sido omissa quanto ao que acontece no lixão de Guarabira - embora o prefeito Zenóbio Toscano (PSDB) tenha prometido que faria um aterro sanitário para acabar com este problema. A Câmara deve pressionar o Executivo Municipal e provocar o Ministério Público, que também precisa intervir.

4 Animais soltos em perímetro urbano – apesar dos apelos, animais continuam soltos no perímetro urbano colocando em risco a vida das pessoas que transitam pela cidade e causando mais transtorno no trânsito local. A PMG não tem feito nada. Este é um bom assunto para os vereadores.

5 Abandono do Canal do Juá – a população tem reclamado da situação no canal: mato, calçamento solto, iluminação comprometida e mal cheiro. Obra é de responsabilidade do poder público local.

6 Falta de políticas públicas para promoção e incentivo à cultura no município – o "Quinta tem talento" e o projeto "Vamos ao Teatro" não acontecem mais. O Wi Fi grátis no corredor da cultura está desativado. Não há editais de incentivo e financiamento de Cultura, e por ai vai...

7 Falta de sinalização vertical e horizontal na cidade e nas rodovias da região – não existe sinalização em Guarabira. As faixas duplas têm gerado confusão no trânsito e não há placas nem pintura de advertência de quebra-molas, por exemplo.

8 Condições do matadouro público – procedência duvidosa no abate e cuidados em relação à carne bovina comercializada e consumida em Guarabira. Este é um assunto de interesse público. 

9 Reforma do Ginásio O Zenobão – a maior praça de esportes da cidade está com a cobertura comprometida, com reboco caindo e completamente sujo e inapropriado para o uso.

10 Ornamentação: natalina, carnavalesca e junina para o município – não há qualquer ornamentação nos períodos festivos do ano para deixar a cidade mais bonita, diferente do que ocorre em municípios menores como Bananeiras e Alagoinha, por exemplo. Mesmo que a cidade não tenha tradição em realizar festas, uma ornamentação específica já deixaria o layout municipal mais bonito.

11 Mais investimentos do Governo do Estado e da PMG em Saúde no município – denúncias no rádio dão conta de que falta médicos na UPA e produtos de necessidade básica nos postos da cidade.

12 Qualidade do serviço prestado pelas operadoras de telefonia em Guarabira – a qualidade do sinal é baixa e a cobertura não existe em algumas áreas da cidade. Cabe ao vereadores, então, cobrar explicações dos representantes das operadoras e mais investimentos na área.

13 Abandono da Fonte Luminosa pela atual gestãoo local tem servido para farras e consumo de drogas, por exemplo. O governo municipal precisa reativar aquele monumento que é patrimônio público e cartão postal.

14 Poluição sonora – embora exista uma lei municipal que regulamente o uso de som alto, o problema continua, principalmente em dias de feira livre.

15 Hospital de Trauma de Guarabira: a cobrança deve ser contínua, ao Governo do Estado, para que construa um hospital de trauma em Guarabira. A obra beneficiaria não só a população da cidade, mas de toda a região.

Fica a dica para que cada parlamentar assuma o compromisso de levar assuntos relevantes e de interesse público para a tribuna – uma dessas sugestões, por exemplo. E que não fique somente no papel: o povo, que também precisa votar melhor, quer resultados. Eu também. #Política

Você pode gostar também

0 comentários