Coluna do Eliabe: Meus enjoadinhos

Por Eliabe Castor, jornalista Oi Vinícius, olá meus enjoadinhos, vocês doam felicidade, espal...

Por Eliabe Castor, jornalista

Oi Vinícius, olá meus enjoadinhos, vocês doam felicidade, espalham medo, amor e ternura ao caminharem pelas nuvens da vida. Coração pulsante, ventre envolto numa placenta de emoções. Meus e seus gestos têm a comunhão exata. Filhos... filhos? Melhor não tê-los! Porém, que coisa; que coisa louca, que coisa linda que os filhos são!

Tem razão Moraes, filhos são lindos, até as corujas sabem e amam os seus. Belos olhos esbugalhados e penugem rala. Ah, meus filhos, não sejam teimosos, mas sejam o que quiserem, seguindo seus bons desejos. Torniquete não os ponho, apenas oriento-os, embora não seja eu a razão pura.

Coloco-os eternamente no pedestal da vida, frágil vida! Um sopro e um alento vindo das vossas mãos e já me sinto forte para enfrentar dragões e moinhos de vento. Locomotiva desgovernada de sentimentos, miscelânea de cores e cheiros. Berros agudos, sorrisos e talco.

Tapinha no bumbum e o chorinho após nove meses de reclusão. Salve o cavaquinho e o violão, eles merecem músicas dos céus! Filhos, que bom tê-los. Não importa como vieram ou de onde partiram. Anjos tortos, belas plumas e sorrisos desconcertantes. Filhos, filhos, filhos...! É muito bom tê-los! Você tem razão Poetinha da Paixão! Filhos, nossa extensão divina.



Contato com o autor: eliabe.castor@hotmail.com
***
#ColunaDoEliabe

Você pode gostar também

0 comentários