Paraíba tem 104 casos notificados de bebês com microcefalia em 32 cidades

Do ClickPB A Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba divulgou na manhã desta terça-feira (24) um novo boletim de casos de bebês com mi...

Do ClickPB

A Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba divulgou na manhã desta terça-feira (24) um novo boletim de casos de bebês com microcefalia no estado. De acordo com os dados divulgados hoje, 104 casos foram notificados.

Os casos foram registrados em 32 cidades paraibanas, sendo que João Pessoa é a que concentra mais notificações, com 50 no total. Os dados divulgados correspondem aos municípios de residência dos pacientes e são do período que vai de 1º de agosto até a última sexta-feira (20).

A cidade de Conde é a segunda com mais casos registrados, sendo nove no total. Em Caaporã quatro casos foram notificados. Três casos foram registrados em cada uma das cidades de Alcantil, Bayeux, Monteiro e Pedras de Fogo. As cidades que tiveram dois casos registrados foram Cabedelo, Juripiranga, São Miguel de Taipu e Sapé.

Cada uma das outras 21 cidades teve um caso de microcefalia registrado. São: Algodão de Jandaíra, Alhandra, Aroeiras, Baía da Traição, Belém, Boqueirão, Campina Grande, Catolé do Rocha, Caturité, Damião, Guarabira, Gurinhém, Jacaraú, Juru, Lucena, Olivedos, Piancó, Salgado de São Félix, Santa Rita, São Domingos do Cariri e Campo de Santana.

Destes casos notificados, dois pacientes tiveram o Zika vírus encontrado no líquido amniótico, que é o fluido que envolve o embrião dentro da barriga da mãe. Estes casos, portanto, têm o Zika vírus como causa para a microcefalia detectada.

De acordo com o relatório divulgado, “a maioria destas notificações foi realizada com base apenas na medida do perímetro cefálico igual ou inferior a 33 cm, independentemente da mãe relatar ou não sinais ou sintomas de doenças infecciosas durante a gravidez e de exames complementares”.

O médico pediatra Cláudio Régis explicou que com a identificação dos pacientes, “existe a suspeição a partir do perímetro cefálico e a partir daí a investigação através de exames complementares em que vai se definir se o paciente realmente tem microcefalia”.

No estado, existem cinco pontos que são centros de referência para o atendimento aos casos notificados de microcefalia, que são a Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos, o Instituto de Saúde Elpidio de Almeida (ISEA), em Campina Grande e a Maternidade Cândida Vargas, a Maternidade Frei Damião e o Hospital Universitário Lauro Wanderley, estes últimos em João Pessoa.
***

#Sociedade

Você pode gostar também

0 comentários