Cagepa vai aumentar novamente as tarifas mesmo com racionamento: consumidor vai pagar mais caro por menos água

Do Blog do Helder Moura Em dezenas de municípios da Paraíba, a Cagepa vem racionando a distri...

Do Blog do Helder Moura

Em dezenas de municípios da Paraíba, a Cagepa vem racionando a distribuição de água. O caso, por exemplo, de Campina Grande, onde os consumidores têm água em suas torneiras por apenas três dias da semana. Com a redução do volume de água oferecido à população, a empresa vai reduzir suas tarifas. Errado, pelo contrário, vai aumentar. Água na Paraíba, pelo visto, não será mais cobrada por metro cúbico, mas por pingo…

Ou seja, com o novo reajuste, o consumidor vai pagar mais caro por menos água nas torneiras. É o que prevê a audiência pública marcada pela Cagepa para às 14 h do próximo dia 10, quando a empresa irá apresentar os índices propostas de aumento das contas de água e esgotos nos municípios onde tem a concessão de distribuição d’água.

A convocação foi, inclusive, publicada no Diário Oficial do Estado.

Acima da inflação – É importante lembrar que, nos últimos cinco anos, sob gestão Ricardo Coutinho, a Cagepa reajustou as tarifas de água e esgotos em percentual acima da inflação: em abril de 2011, a Cagepa reajustou as contas em 16,93%. Em agosto do ano seguinte, mais 7,69%. Em novembro de 2013, mais 8,67%. Em dezembro de 2014, a empresa reajustou as contas em mais 9,9%.

Se considerarmos apenas um aumento linear (o que não é o caso), teremos 43,19%. No período, a inflação ficou em 24,66%.

QUADRO COMPARATIVO
Ano        Cagepa               Inflação
2011      16,93%                 6,5%
2012        7,69%                 5,84%
2013        8,67%                 5,91%
2014        9,9%%                6,41%

                43,19%            24,66%

AVISO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA NOVO AUMENTO

***

#Política #Sociedade

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Cabe a Assembléia Legislativa se manifestar a respeito desse fato, caso contrário ficará provado que houve ou há acordos escuros entre legisladores e governo. Como consumidor fico aguardando.

    ResponderExcluir