Coragem para mudar

A gestão do prefeito Zenóbio Toscano (PSDB), que diz ter compromisso com o futuro de Guarabira (P...

A gestão do prefeito Zenóbio Toscano (PSDB), que diz ter compromisso com o futuro de Guarabira (PB), continua em falta com a classe artística local, principalmente com quem faz música na cidade. Quando candidato, Toscano prometeu garantir espaço para os artistas do município, mas parece que eles foram enganados.

Faz tempo que o “Quinta tem Talento” - único projeto que garantia um pequeno cachê a músicos da cidade - deixou de acontecer. O que foi idealizado para acontecer toda semana, em praça pública, passou a ser realizado quinzenalmente, no centro e nos bairros. Agora, porém, deixou de acontecer de uma vez. O ‘QTT’ virou ‘Quinta tinha talento’!

A Festa da Luz de 2016 vai começar. Haverá, por acaso, espaço para os artistas de Guarabira – pelo menos para aqueles que já têm uma carreira local e um trabalho gravado, por exemplo? É que, realmente, ainda não há espaço para todo mundo. A prioridade seria para quem, de fato, tem um trabalho que se enquadre no nível da festa.

Tem muitos artistas bons que poderiam se apresentar tanto nos palcos populares como nos palcos principais do evento. Só para citar alguns que têm todas as condições para "brilhar" no ‘Palco Luz’, eu destaco: Jefferson Victor, Artur Neto, Hard Trio, Banda Bem Mais, Elias dos Santos, Galera do Arrocha e outros revelados no ‘Café com Poeira’.

A verdade é que falta investimento e interesse da atual gestão em promover a música local, assim como as artes plásticas e a poesia popular, por exemplo. A Festa da Luz poderia ser muito maior e melhor se a organização fizesse uso do espaço público, onde a festa acontece, para também expor a diversidade da arte local. E essa dica serve para os próximos gestores.

Feliz do artista que foi apontado, escolhido ou sugerido pelo prefeito Zenóbio para se apresentar na ‘maior vitrine popular’ da cidade: a Festa da Luz. Este deve comemorar a oportunidade. Infeliz de quem foi enganado pelo candidato e vive a mercê de apoio, espaço e oportunidades. É o que acontece com a maioria dos nossos artistas. 

Eu encerro meu artigo dedicando este texto e pedindo piedade para “os miseráveis que vagam pelo mundo, derrotados; para quem vê a luz, mas não ilumina suas minicertezas; pelas sementes mal plantadas que já nascem com cara de abortadas." Como escreveu Cazuza, "vamos pedir piedade, Senhor piedade! Lhes dê grandeza e um pouco de coragem.” 

Coragem para mudar. #Política


Você pode gostar também

0 comentários