Avaliação: Editor do Blog do Ikeda aponta erros e acertos da Festa da Luz 2016

A festa da Luz 2016 acabou. E aconteceu na maior tranquilidade. É hora de avaliar, então. E como fi...

A festa da Luz 2016 acabou. E aconteceu na maior tranquilidade. É hora de avaliar, então. E como fizemos no ano passado, o Blog do Ikeda volta a apontar erros e acertos relacionados ao evento deste ano, começando pelo local da festa.

Parque do Poeta: Apesar de ainda não estar concluído, o Parque de Eventos Ronaldo Cunha Lima continua tendo a aprovação da população de Guarabira (PB). São muitos os comentários favoráveis postados nas redes sociais. A alteração feita no layout da festa este ano, envolvendo os parques e os barraqueiros, por exemplo, causou uma impressão de mais espaço na ‘pista’. O público sentiu isso e aprovou. Mas nas áreas externas onde ainda não há calçamento, havia lama – é que choveu na tarde de sexta-feira (29) e com o fluxo de veículos no espaço permitido, a situação piorou, principalmente para quem estava a pé. No geral, o local é ideal para realização da Festa da Luz. 




Camarotes: Diferente da edição do ano passado, este ano os camarotes ficaram mais próximos dos palcos principais. Eu não ouvi nenhuma crítica negativa relacionada à posição dos camarotes. Ponto para a organização!




Camarote da imprensa: Houve improvido em relação ao camarote da imprensa. A organização não cumpriu o que fora apresentado em reunião. Apesar de tudo, o coordenador de Comunicação fez o que pôde e a cobertura foi feita, mas...  No local improvisado, em determinado momento, começou a pingar no camarote da imprensa – certamente alguém derramou bebida no andar de cima sem se dar conta de que havia equipamentos eletrônicos no andar de baixo. Embora não façam uma cobertura continua, as tevês não tiveram um ponto de apoio para captação de imagens.





Brinquedos: O posicionamento dos parques - ‘brinquedos’ – também foi aprovado.











Repercussão da festa: A Festa da Luz 2016 teve repercussão positiva. O evento foi bastante comentado nas rádios, redes sociais e blogs, por exemplo.









Comunicação Institucional: A Comunicação da PMG fez o que pôde para deixar a imprensa suprida de todas as informações necessárias para a cobertura da Festa da Luz 2016, nos grupos de Whatsapp e por meio de ligações para os profissionais credenciados. É preciso reconhecer o trabalho de Cid Cordeiro e de toda sua equipe.






Imagens aéreas: Durante as noites de festa, tinha um ‘drone’, veículo aéreo não tripulado, sobrevoando a área do evento e captando imagens do local. O investimento é bom e necessário para um evento desse porte.





Prometeu e não cumpriu: O prefeito anunciou que uma ‘montanha russa’ seria instalada na área da festa. Não deu certo - assim como a vinda de Bell Marques, que também foi anunciado na festa de 2015 pelo próprio Zenóbio. O músico não veio por falta de agenda nessa época do ano.



Palco Luz e sonorização: O som da festa estava agradável e audível, pelo menos para mim. As pessoas que ouvi também fizeram boa avaliação da sonorização da festa. O nível dos dois palcos principais também garantiu boa visualização das atrações, também graças aos dois telões nas laterais dos palcos.




Telões: Os telões instalados ao lado dos palcos foram de fundamental importância para o público, para os portais de notícia e demais profissionais de imprensa. Destaco aqui a qualidade de imagem nos telões: sem comentários! E este ano, pelo que observei, não houve falhas nos telões como ocorreu em 2015. Insisto no que sugeri no ano passado: seria interessante que os telões também ‘transmitissem’ as imagens do ‘Brega Luz’ e, a cada 30 minutos, por exemplo, exibissem a marca dos patrocinadores da festa.

Atrações: Eu escrevi que este ano a organização da festa está promovendo um evento menor em relação às atrações. Sou a favor da diversidade musical. E não houve. Insisto no que escrevi aqui no blog: quase todas as atrações repetem o mesmo repertório musical – o que muda é, apenas, o nome da atração. Os demais apelam para os mesmos hits de sucesso. O show do Águia dividiu opiniões.



Brega Luz: Novamente o ‘Brega Luz’ foi bastante prestigiado e elogiado. Além da qualidade de som e das atrações contratadas, o espaço do brega repetiu o investimento e tem se consolidado como uma ‘vitrine’ para quem se apresenta no local. Este ano, o público das mesas teve uma visão melhor dos shows.







Pontualidade: A pontualidade é importante e tem sido colocada em prática nos eventos realizados pela gestão do prefeito Zenóbio Toscano (PSDB). Este ano, novamente, a organização foi pontual em quase tudo.







Segurança: O 4º Batalhão de Polícia Militar de Guarabira está de parabéns. A PM seguiu à risca o que fora planejado pelo Comando para garantir segurança no local da festa, na área externa e na cidade. Tinha policiais em tudo que é lugar no evento. A atuação do Corpo de Bombeiros também foi de fundamental importância, como também a da Polícia Civil.





Assistência aos policiais: A organização da Festa da Luz, porém, falhou com os policiais. Pelo que observei e fui informado, não havia filtro disponível (desses que gela a água) para o efetivo matar a sede no ponto de apoio. Eu presenciei um militar pegando um garrafão de água de um refrigerador e derramando num copo para beber. Quanto transtorno! Já o lanche que foi providenciado pelo Comando não tinha ‘sustância’ para quem passa a noite toda trabalhando em pé - o ‘recheio’ do sanduíche era tão fino que não dava para distinguir o que era queijo ou presunto no pão. Será que o pessoal da Prefeitura de Guarabira não garantiu um lanche digno aos militares?  


Ocorrência: Ocorreu um curto e pegou fogo num cabo de força, mas o Corpo de Bombeiros agiu rápido e a situação ficou sob controle. Porém, a iluminação ficou temporariamente comprometida no palco do brega e em alguns camarotes, o que atrasou também a cobertura de alguns portais de notícia. A ocorrência afetou ainda o sistema de câmeras da Polícia Militar. Contudo, a festa não foi prejudicada.





Ocorrências policiais: A festa terminou sem nenhuma ocorrência grave registrada. A festa teve 06 ocorrências, apenas. Ponto positivo para a Polícia Militar e para a organização do evento.









Transporte de graça: A ideia de continuar colocando transporte gratuito para conduzir as pessoas para o local da festa foi boa e é necessária. O serviço foi executado como fora anunciado pelo prefeito - sem transtornos.









Transporte pago: O cadastramento de taxistas e moto-taxistas da cidade para a condução de pessoas ao espaço da festa também foi uma boa opção para o público. Isso teve início no ano passado.









Sinalização: Diferente do que ocorreu no ano passado, este ano o parque de eventos recebeu a devidamente sinalização. Também não houve transtorno na área externa da festa.





Maior Festa da Luz de todos os tempos: A Festa da Luz de 2016 cresceu em estrutura e público: foi uma grande festa e deve ter superado suas expectativas. No entanto, na avaliação do blog, não foi a maior festa de todos os tempos. Seria: se tivesse se superado em diversidade de atrações, estrutura e público, por exemplo - critérios principais. Não se superou em diversidade musical.  





Pronto. Estas são, apenas, algumas anotações feitas pela editoria do blog, com base em observação e entrevistas durante as noites de festa. Em síntese, ficou claro que a Festa da Luz de 2016 teve mais acertos que erros. Se você desejar, use este espaço e deixe seu comentário, afinal, este é, de fato, um espaço de opinião. Comente! #Política #FestaDaLuz2016 

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Caro Editor do Blog do Ikeda,
    Após ler todo os escritos do sim ou não, achei muito legal a visão apresentada do evento e das organizações envolvidas na sua realização. Que as partes envolvidas façam suas análises das conquistas e das falhas para com os seus.
    A festa pode ter sido a MAIOR de todos os tempos como dizem os mais otimistas da ocasião, mas, certamente, ainda está longe de ser a MELHOR de todos os tempos.
    As estradas são feitas para caminharmos indo e vindo, mas a festas que queremos são para irmos sempre.

    ResponderExcluir