Semelhança política

O candidato a prefeito de Guarabira pelo PMDB certamente se apresentará a população do município como uma nova opção e com um discurso fác...

O candidato a prefeito de Guarabira pelo PMDB certamente se apresentará a população do município como uma nova opção e com um discurso fácil. De fácil assimilação. É que o partido tem uma vasta prestação de serviço à cidade. O povo sabe e reconhece. Já em relação ao candidato tucano, se Zenóbio Toscano (PSDB) tentar a reeleição, não sei como justificará tantas obras inacabadas e muitas outras anunciadas e, sequer, iniciadas por sua gestão. Há quem acredite que ele seja o candidato de seu partido. Eu, porém, tenho minhas dúvidas. Embora seja um prefeito ousado e considerado um bom administrador, dificilmente ele conseguirá terminar o que iniciou e cumprir o que prometeu ao eleitor guarabirense.

Da mesma forma o candidato do bloco Girassol não vai ter o que dizer e, principalmente, apresentar a população de Guarabira. Ou terá? O eleitor está ciente de que, ao longo de sua gestão, o governador Ricardo Coutinho (PSB) pouco fez – ou nada fez – pela cidade. Também não valorizou a palavra empenhada e o apoio do PMDB de Paulino nas eleições de 2014. Essa situação pode mudar, eu sei. Torço para que isso aconteça. Entretanto, até a eleição deste ano, acredito que ele também não terá como justificar a ausência do Governo do Estado no município. Há muitos representantes do Palácio na cidade, mas nenhuma obra relevante que beneficie, sobretudo, os mais carentes.

No governo de ZT a população não está vendo o tal compromisso com o futuro, pelo menos em alguns setores básicos da administração como Saúde, por exemplo. No Esporte, a atual gestão não tem incentivado atletas do município. Há recursos. No entanto, a PMG não libera verba para pagar uma passagem, sequer. Um jovem campeão de artes marciais precisou de apenas R$ 1500 reais para competir em São Paulo. Ao procurar apoio na prefeitura, teve o benefício negado pelo próprio prefeito. A atual gestão também não garante transporte para os que vão competir em campeonatos da região - como já ocorreu -, nem promove esses eventos em Guarabira. Alguns secretários não têm autonomia e o prefeito não tem interesse em gerir com criatividade.

Se você observar, há uma grande semelhança entre os governos de Ricardo Coutinho e Zenóbio Toscano. Eles não construíram sequer uma casa popular em Guarabira - diferente do governo do PMDB. Quando prefeita, Fátima Paulino construiu e entregou mais de 500 casas a famílias carentes do município em parceria com o Governo Federal. Nas gestões de Coutinho e Toscano, a política habitacional não existe - pelo menos até então. Recentemente, o governador anunciou e assinou ordem de serviço do Condomínio Cidade Madura, onde apenas 40 casas para idosos serão construídas. O prefeito Zenóbio, no entanto, indica que concluirá sua gestão sem nenhuma casa construída. Nenhuma casa em quatro anos de governo.

Este ano o eleitor guarabirense terá a decisão nas mãos - no voto, para ser mais específico. Na eleição de 2016, teremos novas opções: os pré-candidatos Deda Claudino, pelo PMDB; e o professor Belarmino Mariano, do PSOL, como novidades na política local. Os outros - como já disse Antônio Santos em editorial, talvez citando uma canção do Kid Abelha – são, apenas, os outros. Mais do mesmo. E quem vota pela continuação, em quem representa 'mais do mesmo', demonstra estar conformado e não ter interesse em mudar a política local. Até agora não há novidade no ninho tucano. Tão pouco no jardim dos girassóis. Há, contudo, semelhança na forma de fazer política. Em Guarabira PSDB e PSB são parecidos em quase tudo. #Política


Você pode gostar também

2 comentários