A crise chegou

O Brasil está em crise. Uma crise sem precedentes. E isso não é novidade. Estamos passando por um...

O Brasil está em crise. Uma crise sem precedentes. E isso não é novidade. Estamos passando por uma crise moral, por uma crise política e uma crise econômica. A economia do país está em recessão. Com o aumento da inflação, veio à carestia e o desemprego. E tudo tem a ver com política. Gestão. Com a gestão do PT, dessa vez.

Como a crise é nacional, os efeitos logo chegaram à Paraíba. O Governo do Estado e as prefeituras já sentem os cortes de recursos federais, por exemplo. O bom gestor, no entanto, deve se virar como pode para lidar com a crise, pois ele precisa continuar pagando, pelo menos, a folha de servidores e a de serviços. A máquina não pode parar.

A crise econômica tem feito muitas empresas fecharem as portas. Na Paraíba não seria diferente. Uma das últimas unidades das lojas Esplanada acaba de fechar em João Pessoa. Em Guarabira (PB), talvez, a situação seja pior. É que além da crise moral, política e econômica, há outra crise: a de vergonha pelo não cumprimento de promessas feitas em campanha.

Quando candidato - usando o discurso de que não era o melhor, mas era o mais preparado para governar Guarabira -, Zenóbio Toscano (PSDB) prometeu implantar um ‘Empreender Guarabira’ para impulsionar a economia local, lembra? A promessa, porém, ainda é dívida: não saiu do papel. Nem sei se vai sair.

Mesmo tendo um comércio pujante, a falta de um programa municipal de incentivos e os altos impostos cobrados na gestão de um membro da ‘elite tucana’, têm comprometido a economia de Guarabira, que já sente os efeitos da recessão. Repare: não há movimento nas lojas. Num momento como este o poder público municipal não deveria estimular o comércio?

A loja Maré Mansa já fechou as portas na cidade. E pelo menos mais duas haverão de fechar nos próximos dias, colocando muita gente na rua. Sem contar o sufoco pelo qual muitos comerciantes e microempresários estão passando sem ter a quem recorrer na cidade. Se recorrerem ao banco, que é a opção, as taxas cambiais também não são favoráveis.

Assim como ninguém nesse país está acima da Lei, não vai ter golpe. E a melhor forma de combater a tal "imprensa golpista" é usando o controle remoto da tevê, não é pichando paredes ou provocando o direito que os outros que pensam diferente de você têm de se manifestar. O Brasil é maior do que o PT, do que qualquer partido e do que o próprio Lula.

Não é hora de dividir o Brasil! E ao invés de convocar militantes às ruas para defender determinado político, o governo deveria assumir sua responsabilidade e o controle da nação enquanto tem tempo. O povo tem o poder do voto para mudar e o dever de cobrar, nas ruas, dos eleitos uma solução para os problemas do país. O resto é com a Justiça. #Política #Opinião

Você pode gostar também

0 comentários