Lula desmente frase atribuída a ele em reportagem do "Estadão"

Crédito:Ricardo Stuckert/Instituto Lula Do Portal IMPRENSA Na tarde desta quarta-feir...

Crédito:Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Do Portal IMPRENSA

Na tarde desta quarta-feira (9/3), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou seu perfil oficial no Facebook para desmentir uma frase atribuída a ele na reportagem "PT pressiona Lula a aceitar ministério e 'escapar' de Moro", do jornal O Estado de S.Paulo, e assinada pelos repórteres Vera Rosa e Adriano Ceolin.

De acordo com o veículo, Lula teria dito a mais de um interlocutor: "A partir de agora, se me prenderem, eu viro herói. Se me matarem, viro mártir. E se me deixarem solto, viro presidente de novo".

Na nota divulgada na rede social, o ex-presidente diz que "a mensagem de apoio a Lula que o Estadão credita ao próprio ex-presidente é velha conhecida da ?#?EquipeLula?: trata-se de corrente que circula o Whatsapp e os comentários no Facebook desde a sexta-feira".

A frase foi repercutida pela imprensa brasileira, gerando chamadas e destaques nas homes dos principais veículos do país. Muitos veículos reproduziram o conteúdo da agência Estado com frase atribuída ao político.

Segundo Lula, "na sanha de construir audiência" usando seu nome o Estadão teria dedicado nesta tarde "12 chamadas em sua capa ao ex-presidente".

O ex-presidente ainda acusa o jornal de ter "reduzido o critério para colher relatos anônimos sobre o que Lula disse ou deixou de dizer"

Pouco antes do desmentido de Lula, a jornalista Cynara Menezes, comentarista de política da RedeTV!, já tinha afirmado no Twitter que a frase tratava-se de um meme.

Procurado, o Estadão disse que não vai se pronunciar sobre o assunto.

***

#Política

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Lula pode não ter dito, mas o meme cria elementos para ele surfar na marolinha da atual crise...

    ResponderExcluir