Lula relata: pediu para Mino Carta escrever artigo com críticas a Sergio Moro

Lula e Mino Carta em entrevista gravada pela 'TV Carta' (Imagem: Reprodução/YouTube)  D...

Lula e Mino Carta em entrevista gravada pela 'TV Carta' (Imagem: Reprodução/YouTube) 
Do Comunique-se

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve telefonemas grampeados pela Polícia Federal, órgão que comanda as investigações da operação Lava Jato. Nas conversas tornadas públicas pelo juiz Sergio Moro na noite de quarta-feira, 16, o petista reclama da “República de Curitiba”, do trabalho da Receita Federal contra o instituto que leva o seu nome e do “show” em torno de sua condução coercitiva. Personagens da imprensa também foram mencionados pelo político, como emissoras de TV e o diretor de redação da Carta Capital, Mino Carta.

Em telefonema na noite de segunda-feira, 14, Lula afirmou ao então ministro-chefe da Casa Civil, Jacques Wagner, que tinha pedido ao jornalista ítalo-brasileiro a produção de um texto sobre as manifestações que tomaram ruas em diversas cidades do país no último fim de semana. “Acabei de conversar com o Mino Carta aqui pra ele escrever um artigo, mostrando que teve duas coisas nesse movimento. Primeiro, a vontade das pessoas que o combate à corrupção continue”, diz o antecessor de Dilma que na manhã desta quinta, 17, assumiu o posto então ocupado por Wagner na Casa Civil – depois da posse, o juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara do Distrito Federal, suspendeu a nomeação.

A conversa de Lula com Jacques Wagner demonstra que a intenção ao solicitar artigo a Mino era criticar Moro. O ex-presidente diz que o juiz paranaense “representa isso [combate à corrupção] fortemente”, o que simbolizaria a “negação da política é total”. “E o resultado disso, você sabe o que é, né?”, pergunta Lula ao ex-governador da Bahia, que responde: “lógico, é o caminho pro autoritarismo”. “Então, eu pedi pro Mino escrever um artigo sobre isso”, reforça o ex-presidente da República, conforme mostra transcrição publicada pela Veja.com.

Editoriais da Carta Capital

Horas depois da conversa telefônica entre Lula e Jacques Wagner, o site da Carta Capital publicou dois editoriais (ambos com a assinatura do diretor Mino Carta). Na madrugada de terça-feira, 15, os textos “O patético complô” e “Conspiração policial” foram divulgados na web. No primeiro, afirma-se que “diante desse apavorante conjunto de desmandos [ações da Polícia Federal contra o ex-presidente e sua família], não poderia faltar a intervenção providencial do juiz Sergio Moro, que há dois anos, graças ao Altíssimo, rege o destino do País”.

“Da conspirata em marcha, vislumbro de chofre três QGs, em recantos distintos. Número 1, escancarado, em Curitiba, onde três delegados dispõem da pronta conivência do Ministério Público e da vaidade provinciana do juiz Sergio Moro, tão inclinado a se exibir quando os graúdos lhe oferecem um troféu”, escreveu Mino Carta em trecho do outro texto. Até o início da tarde desta quinta-feira, 17, a revista comandada pelo jornalista não comentou a questão de Lula ter garantido que pediu a produção de artigos.

*** 
#Política

Você pode gostar também

0 comentários