O PT, o Brasil e o Lula

“Nunca na história política desse país” se roubou tanto como no governo do Partido dos Trabalhadores - pelo menos, considerando o que fora,...

“Nunca na história política desse país” se roubou tanto como no governo do Partido dos Trabalhadores - pelo menos, considerando o que fora, de fato, investigado, revelado a sociedade e sentenciado até agora pela justiça brasileira. No entanto, o governo do PT ampliou programas sociais e tirou milhões da pobreza. Mas isso não justifica práticas ilícitas cometidas por gente que, de alguma forma, estava ligada ao poder – direta ou indiretamente.

No Brasil, nunca se denunciou tanto e se viu tanto escândalo como no atual governo. Embora muitos corruptos ligados ao PT tenham sido condenados pela justiça - que, segundo declaração do ex-presidente Lula, está totalmente “acorvadada”, assim como o parlamento brasileiro -, outros fogem de uma investigação, como bem disse o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso, se referendo a Lula quando de sua nomeação para Casa Civil.

Lula se acha. Se acha no direito de estar acima das leis. Aquele em quem, um dia, a população brasileira depositou esperanças de um futuro melhor é protagonista em algumas investigações: Lava Jato, o caso tríplex do Guarujá e a Zelotes. E há evidências de que o líder do PT tentou obstruir o trabalho da Justiça e influenciar ministros do Supremo Tribunal Federal, como o presidente Ricardo Lawandowski e Rosa Weber, também membro da suprema corte.

O tão repercutido diálogo com a presidente Dilma Rousseff, grampeado pela Polícia Federal com autorização judicial, deixa claro que a nomeação de Lula para um ministério foi combinado com o intuito de garantir imunidade ao petista. Apesar de tudo, sem querer relativizar o peso das notícias em relação a Operação Lava Jato e minimizar os efeitos políticos e jurídicos das ligações telefônicas que foram divulgadas, a Justiça também se excedeu. 

Como as investigações não são de competência do magistrado Sergio Moro, por exemplo, lhe cabe apenas julgar fatos que forem apresentados, manifestando-se nos autos, com a devida imparcialidade que o cargo exige. Afinal, a desmoralização do Poder Judiciário é o pior que ainda pode acontecer. Portanto, cabe a Justiça dar exemplo, agindo dentro da legalidade. Um editorial na Folha de S. Paulo de hoje (18), fez uma abordagem sobre isso. 

Como ministro, Lula se esconde atrás de um foro privilegiado, não podendo ser investigado pela justiça comum do país. Que Justiça seja feita - de forma correta, como manda as leis! Que ela também alcance todos os envolvidos em escândalos de corrupção. Que eles sejam punidos pelo rigor das leis e extirpados definitivamente, principalmente, pela sociedade brasileira, por meio do voto, não permitindo que bandidos a representem nas esferas de poder. 

Se antes da nomeação a situação da presidente Dilma Rousseff já era grave, agora, então, a situação é gravíssima, como escreveu Lena Guimarães em sua coluna nesta quinta-feira (17) no Jornal Correio da Paraíba. Antes mesmo da liberação de áudios e da nomeação de Lula para um ministério, já havia mobilização, sobretudo, nas redes sociais contra o ato. Lena tem razão: "Lula, que seria a solução, virou um problemão". Um problema e tanto para o governo do PT. #Política #Opinião

Você pode gostar também

0 comentários