Adeus, Kid Abelha

A música continuará tocando. Afinal, ela não pode parar. Porém, ao longo dos últimos anos, perde...

A música continuará tocando. Afinal, ela não pode parar. Porém, ao longo dos últimos anos, perdemos muitas referências musicais, tanto nacionais quanto internacionais, sem direito a sucessão. De Cazuza a Renato Russo, de Tim Maia a Cássia Eller, Dominguinhos; de Michael Jackson a Whitney Houston, de Amy Winehouse a Prince, Billy Paul, somente para pontuar alguns nomes que considero importantes.

Aqui no Brasil, várias bandas também entraram em recesso definitivo deixando saudades. Quem não se lembra do Engenheiros do Havaí? E do Los Hermano, por exemplo, uma banda tão nova - dos anos 2000? Como se se não bastasse, o Kid Abelha, uma das minhas bandas preferidas, anunciou o fim da carreira na última sexta-feira (22), após 35 anos de estrada, contando histórias e cantando e encantando vidas.

O fim da banda Kid Abelha, porém, não me deixou surpreso. A cantora Paula Toller já havia anunciado a possibilidade de recesso em entrevista na Folha de S. Paulo. A partir de agora, então, só vai restar saudade do Kid Abelha de músicas inteligentes como “Alice”, “Fixação”, "Pintura íntima", “Lágrimas e chuva”, “Uniformes”, “Garotos”, “Amanhã é 23”, “Os outros”, “Nada tanto assim” e “Grande Hotel”, por exemplo.

No entanto, além da saudade que fica e das boas lembranças, sobretudo, para quem um dia assistiu a um show da banda, quem sabe se o Kid Abelha não volte um dia. Nem que seja para uma apresentação antológica no ano de 2022, quando o grupo faria 40 anos. Quem sabe, né... Mas por ora a sensação não é outra: senão, a de nunca mais ver um show de uma das melhores bandas do pop rock brasileiro da década de 80.

Do início ao fim, principalmente enquanto o letrista Leone estava na banda, o Kid Abelha conseguiu emplacar um hit atrás do outro. E como é natural para uma banda de um pop tão nobre, as músicas do Kid Abelha continuam tocando até hoje no rádio. Apesar de nunca ter sido uma banda bem vista pela crítica, o Kid Abelha chega ao fim com o dever cumprido, deixando uma obra relevante para a posteridade. 

Ao trio Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato, o meu mais sincero agradecimento. Adeus, Kid Abelha. Nesta sexta-feira (29), o meu programa de rádio fará um especial no #Audiografia, do Conexão 90 Graus, da Guarabira FM. Compartilhe! #Cultura #Musica

Você pode gostar também

0 comentários