Após votar contra impeachment, Wellington Roberto é agraciado com R$ 12 milhões do governo federal

Do Blog do Gordinho Voto contrário ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), o deputa...

Do Blog do Gordinho

Voto contrário ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), o deputado federal e presidente estadual do PR, Wellington Roberto (PR), foi agraciado pelo governo federal com liberação de emendas na ordem de R$ 12 milhões, às vésperas da eleição na Câmara Federal que decidiu por aprovar o processo de afastamento da petista do governo.

De acordo com matéria do jornal ‘O Estado de S.Paulo’, as planilhas do governo revelam que a relação das emendas liberadas chegaram ao Ministério da Integração Nacional na última sexta-feira (15) e os empenhos foram feitos na manhã de segunda-feira (19),  um dia após a votação.  Segundo o ‘Estadão’, o dinheiro não saiu apenas nas emendas, mas também de programas que são tocados pelo ministério com recursos extraorçamentários. Neste caso, os parlamentares indicaram para onde o dinheiro deveria ser destinado.

Dias antes da votação, o paraibano disse que acompanharia a decisão do seu partido de rejeitar o pedido de impeachment de Dilma, mas admitiu que poderia rever sua postura até o domingo (17).

Dos doze deputados federais da Paraíba, ele foi um dos três que votaram pela permanência de Dilma no governo.

“Pela democracia, pelo Brasil, pela nossa Paraíba e sabendo que o impeachment não vai resolver os problemas do nosso país  e defendendo novas eleições, eu voto não”, disse no momento.

Wellington Roberto foi destaque na mídia nacional por sua postura em defesa  de Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara Federal, que enfrenta um processo de cassação de mandato, e escondeu até o último momento seu posicionamento sobre o impeachment da presidente Dilma.

Dos 40 parlamentares do PR, 26 votaram a favor da saída de Dilma, dez votaram contra, três se abstiveram e uma faltou. O deputado Alfredo Nascimento renunciou a presidência da legenda para votar contra o governo.
***

#Política 

Você pode gostar também

1 comentários

  1. O PR, partido do ex-vice de Lula é da base do governo federal, tem ministérios e tomou a decisão de votar não. Tanto é que o seu presidente abandou a presidência para votar sim. Também achei estranho o voto do deputado, pois da paraíba só contavamos com dois votos. Podemos analisar todos os votos...e acho que apenas Pedro e Efrain eram oposição ao governo. Todos os demais eram governo e se lambusaram o quanto puderam...Romulo, Veneziano, Hugo mota Manoel Jr, Wilssom filho...Até ontem o pai estava em cargo federal...e acho que ainda está. Pior, estes do PMDB e do PSDB e PSD, e PP estão na lista da Odebrecht...eles estavam comendo e agora querem caçar a presidente. É meu camarada Ikeda...esse governo Dilma e seus aliados é uma comédia...o pior é o que esses ex-aliados vão fazer conosco...o golpe é contra a democracia e contra os trabalhadores...terciarização, ajuste fiscal e arrocho salarial...corte nos programas...exatamente como esta na ponte para o futuro sombrio que o PMDB nos reserva...isso é neoliberalismo a moda antiga. Se tá pior vai piorar...

    ResponderExcluir