Nova baixa no bloco dos 'girassóis' de Guarabira: radialista rompe com Governo e anuncia apoio ao grupo do PMDB

A semana passada terminou com a notícia de que o radialista Rudney Araújo, que defendia o ‘políti...

A semana passada terminou com a notícia de que o radialista Rudney Araújo, que defendia o ‘política girassol’, entregou um cargo no Governo do Estado, rompeu com o bloco do governador Ricardo Coutinho (PSB) e anunciou apoio ao grupo político de Roberto Paulino (PMDB) em Guarabira (PB). O comunicador é um dos mais influentes do rádio guarabirense.

Enquanto uns insistem em tentar convencer a população de que o bloco dos ‘girassóis’ tem se fortalecido, levando até alguns jornalistas da capital a acreditar nessa falácia, o que se vê, na verdade, é gente pedindo para sair do jardim dos girassóis, na maioria dos casos para voltar ou compor o jardim das rosas vermelhas.

Além do empresário João Rafael, do professor Belarmino Mariano, do vereador Costinha, e do blogueiro Gibal Martiniano, por exemplo, o jornalista Rudney Araújo foi, apenas, mais um dos muitos que ainda vão pular fora dessa ‘barca furada’ antes que seja tarde demais: antes do sacrifício dos candidatos do bloco nas eleições de 2016.

Conforme matéria do jornalista Antônio Santos, o âncora do noticiário matutino da Rádio Cultura AM de Guarabira rompeu com a ala governista por divergências de opinião com a direção do PSB no município, que tem à frente o jornalista e advogado Célio Alves, também secretário executivo de Comunicação da Paraíba.

“Me afasto da ala Girassol e anuncio apoio a pré-candidatura de Fátima Paulino. Faz tempo que não comungo com diversas ações político-partidárias do comando socialista de nossa cidade, por isso deixo a ala Girassol e me agrego ao projeto democrático do PMDB”, justificou Rudney, sem entrar em detalhes acerca do assunto.

Apesar de ter ocupado um cargo no governo, se realmente fazia tempo que Rudney Araújo não comungava com a “nova política” dos que fazem o bloco socialista em Guarabira, eu não consigo entender porque só agora o radialista tomou essa decisão se ele achava o projeto do PSB equivocado, como relatou na matéria.

“Por pensar assim, querendo o melhor para o grupo, inclusive defendendo uma aliança entre girassóis e PMDB, não fui bem entendido. E sempre que me viam com Roberto ou Raniery Paulino, faziam “caras e bocas” como que repudiando minhas amizades. Isso eu não aceito”, acrescentou.

Eu só espero que os que estão agora trocando o girassol pela rosa, talvez convencidos por pesquisas de cunho interno que dão alguma vantagem ao grupo Paulino - não estejam, somente, querendo se beneficiar no futuro - caso a ex-prefeita Fátima Paulino, pré-candidata pelo PMDB, vença as eleições deste ano. Fica a dica: pensem primeiro no povo!

Pode não ser o caso de Rudney, mas pode ser o de outros que têm se submetido à intransigência e ao autoritarismo denunciado e evidente dentro do bloco girassóis, para construir patrimônio próprio, trocando a razão pela emoção, e cuspindo no prato que comeram - como já fizeram e ainda fazem por ai aqueles que foram beneficiados por Paulino. #Política #Opinião

Você pode gostar também

1 comentários

  1. No meu caso amigo Ikeda não me incluo nos que porventura deixaram ou deixarão o grupo em virtude de pesquisas que apontam Fátima na frente, pois ainda tinha 2 anos e 7 meses de cargo garantido. Deixei o grupo dos girassois agora por ter tentado até o último momento uma tentativa de aliança com o PMDB, única chance que o girassois teriam de vencer Zenóbio, como esse não é o projeto deles que tanto faz perder ou ganhar, o que eles querem é um projeto particular pensando em uma candidatura a deputado em 2018, com isso prejudicando o projeto dos pequenos.

    ResponderExcluir