É pra rir ou para chorar, vereador? Responda!

O vereador Marcelo Bandeira, pelo qual tenho respeito, e que, certamente, é pré-candidato nas ele...

O vereador Marcelo Bandeira, pelo qual tenho respeito, e que, certamente, é pré-candidato nas eleições de 2016 pelo bloco do PSB de Guarabira (PB), não gostou do meu breve comentário no programa Hora da Notícia desta quarta-feira (18) pela Guarabira FM. Em tom moderado, ele participou do programa. Durante sua fala, eu senti que o nobre parlamentar quis me intimidar, como também ao meu colega jornalista Antônio Santos, pela revelação feita em nosso programa do valor doado por ele, e por outros, para uma festa popular.

O salário de um vereador na cidade de Guarabira é de R$ 6.000 reais. Bandeira, no entanto, quis colaborar com, apenas, R$ 20.00 para a tradicional Festa das Mães que ocorre, anualmente, no Bairro do Rosário e que este ano contou com a presença de 300 mães. É um direito que assiste ao vereador colaborar com o valor que ele quiser, eu sei. Da mesma forma, é um direito que me assiste comentar sobre o que eu acho da quantia doada por um político, por exemplo, que recebe um bom salário por mês para representar o povo.

“Eu tenho vergonha!” Foi tudo o que eu disse no ar, rindo da situação, em relação à doação do vereador Marcelo Bandeira. Eu disse e repito: eu tenho vergonha! Justifico: tenho vergonha de tocar num assunto como este no rádio, de tornar público para a opinião pública que quem mais tem condições de ajudar é quem menos ajuda - como fez o vereador Marcelo Bandeira e o pré-candidato a vice-prefeito de Guarabira pelo PSB Beto Meireles, que doou R$ 35,00. É pra rir ou pra chorar, eu pergunto aos senhores?

O meu comentário - de que me sentia envergonhado - foi com base no que disse o nosso entrevistado, Gilberto Ferreira da Silva (Biqueira), sem faltar com respeito. Se o vereador não entendeu a minha expressão - como declarou no ar -, eu sugiro que faça um exame de consciência antes de chamar a mim e a AS de irresponsáveis. Isso talvez possa ajudá-lo a sentir o que o eleitor tem pensado sobre alguns membros do legislativo guarabirense, principalmente daqueles que têm ‘fechado as mãos’ quando a população mais precisa.

E tem mais! Nem eu nem Antônio Santos temos a obrigação de saber o que o senhor ou qualquer outro vereador tem feito pela população mais carente de Guarabira. É de ‘vossa excelência’, a obrigação de mobilizar seus assessores para produzirem pautas e distribuírem releases com a imprensa local – se é que algum deles sabe o que é um release. Há espaço para boas notícias de interesse público e de público no Hora da Notícia e no meu blog, por exemplo. Não venha, então, cobrar de mim e de AS o que não é de nossa competência.

Ainda conforme nosso entrevistado, o vereador Bica, também do bloco dos girassóis, se ‘escondeu’ para não colaborar. Gerson do Gesso, idem. Vai ver que, realmente, eles também estavam sem dinheiro. O povo sofre, viu! “Mas parece que vereador sofre mais.” Nenhum deles, contudo, quer perder o assento na Câmara. Enquanto uns ‘fecham as mãos’, outros, como Paulino (PMDB), Toscano (PSDB) e o pré-candidato a prefeito pelo PSB Josa da Padaria – este sem muitos recursos -, estão de mãos abertas: todos deram uma boa contribuição.

Não é a primeira vez que vereadores de Guarabira se omitem a investir em eventos e pessoas da cidade. Não é a toa que temos, atualmente, uma das piores legislaturas da política local. Espero ter sido claro, vereador Marcelo Bandeira. Se for para doar de 20 a 40 reais, por exemplo, é melhor não dar nada. É mais bonito dar um “NÃO completo” do que um “SIM pela metade”. Com este tipo de ajuda, os senhores vereadores não me representam. E não falo como profissional de imprensa, mas como cidadão e eleitor guarabirense.

Paulo, em sua segunda carta aos Coríntios, escreveu: “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” (2 Coríntios 9: 7) Este fragmento bíblico tem um contexto religioso e toda oferta voluntária é bem vinda, eu sei. Porém, eu teria vergonha de, como vereador, fazer uma doação de 20 reais para um evento organizado por uma liderança comunitária. E também ficaria constrangido em receber uma oferta como esta de um vereador de Guarabira.

Não é com 04 melancias, 80 maçãs, 08 melões e 08 abacaxis – patrocínio do bloco do PSB de Guarabira para um café da manhã para 300 mães, conforme Biqueira - que se ganha eleição em Guarabira. Se ganha eleição no voto, mediante propostas e serviços prestados, por exemplo. Diferente de Bandeira e Meireles, os vereadores Jader Filho e Lucas Porpino, ambos do bloco dos 'girassóis', não se omitiram. Nunca deixaram de ajudar, disse Biqueira. 

Diante dessa situação: é pra rir ou pra chorar, vereador Marcelo Bandeira? Responda!

 #Política

Você pode gostar também

1 comentários

  1. Ajudar ninguém quer, agora perder tempo fazendo a cidade homenagear o deputado Tiririca eles sabem. Tiririca nem sabe que Guarabira existe e o requerimento do vereador Malaguty para homenageá-lo com a comenda Ronaldo Cunha Lima foi aprovada por unanimidade a uma pessoa que não tem nada a ver com a nossa cidade. A câmara municipal de Guarabira está se tornando um verdadeiro circo com esse tipo de coisa. Enquanto isso, as obras do governo municipal e estadual estão precisando de fiscalização e nada, as contas públicas do mesmo jeito, mas homenagear alguém que nada fez pela cidade é mais importante que tudo isso, enquanto o cidadão fica a ver navios.

    ResponderExcluir