Professora guarabirense morre aos 103 anos

Faleceu na noite desta quinta-feira (22), a professora guarabirense Maria Eulália Cantalice Caval...

Faleceu na noite desta quinta-feira (22), a professora guarabirense Maria Eulália Cantalice Cavalcante, aos 103 anos, em sua própria residência. A docente era uma referência na Educação de Guarabira (PB), tanto para veteranos quanto para a nova geração de educadores.

Dona Maria Eulália começou a lecionar no ano de 1935 e foi professora fundadora de três importantes colégios da cidade: do Colégio Santo Antônio, do Colégio da Luz e do Colégio Estadual José Soares de Carvalho. Ela lecionou português até os 90 anos.

Já aposentada, a professora continuou frequentando o Colégio Santo Antônio até os 102 anos, auxiliando na secretaria. Também era costume de dona Eulália sentar num banquinho de praça aos finais de tarde para conversar com amigos e parentes.

Maria Eulália nasceu em 23 de maio de 1913, em um distrito de Guarabira. Foi casada com o escriturário Felinto Cavalcante. Deixa 3 filhos, 5 netos e 3 bisnetos. Sua história também rendeu um documentário dirigido pelo professor historiador Vicente Barbosa.

O velório da professora Eulália está ocorrendo na central de velórios Sono Eterno, na Praça da Juventude, no centro de Guarabira. Conforme os familiares, o sepultamento da educadora centenária acontece na tarde desta sexta-feira no cemitério S. João Batista – cemitério velho.  #Sociedade

Você pode gostar também

1 comentários

  1. LUTO BRANCO Para minha companheira de profissão e de trabalho, Professora Eulália, pelos seus 103 anos de vida e agora para a sua caminhada em direção a luz. Mulher, plena e sábia. Tive a oportunidade de compartilhar com ela, dois anos de profunda experiência profissional, foi no Colégio Santo Antônio de Guarabira, entre os anos de 2000 e 2002. Foi ela quem me contou sobre as primeiras impressões e memórias de uma Guarabira de sessenta anos atras. Ela me disse que, onde Hoje temos o Bairro do Nordeste, no seu tempo de jovem, existia uma floresta e uma fazenda. Existiam riachos de água cristalina e poucas casas. Foi ela quem me contou que viu os primeiros tijolos do Santo Antônio, sendo levantados em paredes. Ela me contou que ensinou o B-A-BÁ, para muitos guarabirenses. Ontem a noite ela se despediu deste mundo. A Professora, se fez espírito e agora caminha pelos corredores e jardins do paraíso. Nos proteja, proteja a nossa profissão, tão ameaçada e desvalorizada. Deus irá lhe proteger querida Eulália.

    ResponderExcluir