Por um 2017 melhor que 2016. Oremos

Mais um ano acabou. 2016 foi um ano difícil. Cheio de provações, avalio. Não vou sentir falta desse ano. Um ano de lutas e de muitas c...

Mais um ano acabou. 2016 foi um ano difícil. Cheio de provações, avalio. Não vou sentir falta desse ano. Um ano de lutas e de muitas crises, do sagrado ao profano. O mundo está em crise: moral, política, econômica, espiritual, entre outras tantas.

Dois mil e dezesseis também foi um ano de dúvidas e incertezas. Um ano de vida e de mortes, de muros e pontes. A música, sobretudo, perdeu muito este ano. 2016 foi um ano para se viver um dia de cada vez, literalmente. E foi assim que procurei viver. Continuarei tentando.

Em 2016 eu perdi amigos. Alguns partiram para a eternidade. Outros, porém, embora perto, não estão mais comigo. A indiferença nos separou. Contudo, tive a sorte de encontrar novas amizades, afinal ainda acredito em amizade. Em amizade verdadeira.

Sou de poucos amigos, reconheço. “Mas há amigo mais chegado que irmão”, diz as escrituras. Eu tenho alguns. Com eles compartilho alegrias e tristezas. Também abraços, sorrisos, textos, músicas, experiências e orações. Amigos são uma família que a gente escolhe.

O ano dá adeus e deixa grandes lições para o futuro. Lições que me fazem crescer e ser uma pessoa melhor a cada dia. Cair é preciso. Levantar é necessário. Sigo, portanto, lendo, ouvindo, observando, refletindo, aprendendo com os limites que os muros impõem.  

“Pessoas criam muros. E esses muros impedem a visão da vida. Amizades demoram muito para crescer e dar frutos. Frutos de confiança, respeito e amor. Mas muitas vezes um muro pode separar o que a vida levou anos para unir. Se o muro cresce, a amizade corre o risco de acabar. Não construa muros. Mantenha sua árvore à vista. Se ela ainda não deu, pode dar bons frutos.”
É que há aqueles que passaram o ano construindo muros ao invés de pontes. Os muros dão segurança, realmente. No entanto, eles nos separam e comprometem a visão de futuro. Amizade com muros não é amizade – é ilusão. Amizades constroem pontes, não muros.

Que neste começo de ano, então, você possa derrubar os muros que impõem limites. Os muros construídos em 2016, por exemplo. Comece a construir pontes e boas amizades para 2017: amizades leais, feitas à base de amor, convivência e experiência mútua.   

Apesar de tudo, eu agradeço a Deus por sua graça e misericórdia. Pela vida, saúde, família, emprego e amigos, por exemplo. A vida não tem sido fácil, eu sei. É por isso que insisto em seguir caminhando de joelhos, diante de Deus, para permanecer de pé neste mundo.

“Orar é um dever. Nunca esmorecer é um desafio necessário.” Que 2017 seja um ano diferente. E que essa diferença comece em cada um de nós. Por um ano com mais fé, amor, saúde, trabalho, disposição e muita música para deixar a vida mais feliz. Oremos!

Feliz ano novo, gente linda! #Sociedade #CronicaDeFimDeAno #FelizAnoNovo #2017 #SintoniaFina

Você pode gostar também

0 comentários