Zenóbio anuncia congelamento dos salários do prefeito, vice e secretários

Fato a Fato Após o recebimento de mais um diploma em sua carreira política, ocorrido ontem (15) no auditório do Campus III da UEPB, e...

Fato a Fato

Após o recebimento de mais um diploma em sua carreira política, ocorrido ontem (15) no auditório do Campus III da UEPB, em Guarabira, o prefeito Zenóbio Toscano (PSDB) anunciou o congelamento de seu próprio salário, o do vice e dos secretários do município. 

Toscano afirmou, em entrevista a imprensa, que a Prefeitura de Guarabira, a partir de janeiro de 2017, vai se enquadrar na contenção de gastos públicos para, entre tantos outros objetivos, economizar em função da crise econômica por que passa o País na atualidade.

A meta, segundo o prefeito, é que o seu salário, o do vice e o dos secretários não sejam reajustados durante o período dos próximos quatro anos. “A crise econômica é geral e, por conseguinte, afeta também os pequenos municípios, por isso vamos fazer a nossa parte”, afirmou.

Vereadores – O prefeito Zenóbio Toscano também afirmou que os salários dos vereadores eleitos estarão congelados por 4 anos a partir de primeiro de janeiro de 2017. A declaração do gestor guarabirense  gerou dúvida na classe política local.

A editoria de Fato a Fato entrou em contato com um advogado tributarista (preferiu não revelar o nome) e o causídico disse que salário de prefeito, vice e vereador quem legisla nesse sentido é a Câmara Municipal. 

“Quem aumenta ou congela salário de prefeito, vice e vereador é a Câmara Municipal. Quando há um reajuste para nesse sentido, a única coisa que o gestor pode fazer é não receber o aumento. Portanto, não compete ao chefe do executivo do município congelar ou majorar vencimentos do parlamentar mirim”, assegurou o advogado. 
***

#Política 

Você pode gostar também

0 comentários