Opinião: Recalcada, eu? Sou!

Por Marcela Sitônio, jornalista Uma militante aguerrida, daquelas que seu ato mais revolucionário é sair de casa na eleição e empurra...

Por Marcela Sitônio, jornalista

Uma militante aguerrida, daquelas que seu ato mais revolucionário é sair de casa na eleição e empurrar o dedo na urna eletrônica, chamou de "recalcadas" todas as pessoas que não foram receber Lula e Dilma em Monteiro. Vesti a carapuça porque sou, de fato, uma eleitora recalcada e saudosista. 

Reconhecer um sentimento negativo, não é fácil. Em outros tempos, estaria lá, cumprimentando meus então candidatos, eleitos com minha anuência.

Lembro a beleza que foi a aparição de Lula naquele comício emocionante, realizado no Parque Solon de Lucena, ao lado do "coronel" José Maranhão. A Lagoa avermelhou, literalmente! E "o velho comunista se aliançou, ao rubro do rubor do meu amor". Ele trazia a promessa de esperança e renovação para um povo desesperançado com a política mesquinha das velhas raposas.

Conseguiu se eleger, socializou o saber entre filhos de agricultores, povos indígenas, pretos e pobres. Tirou muita gente da miséria com os Programas Bolsa família e Fome Zero que, ao invés de avançarem com políticas públicas, viraram assistencialismo para barganhar voto.

Também é dele o mérito de conceder reajustes consideráveis para servidores públicos, acima de 200% ao longo dos seus dois mandatos e, finalmente, deu início a grande obra de transposição das águas do São Francisco.

Meu recalque como ex eleitora é que, tanto o PT, quanto Lula, poderiam "ser maiores e melhores do que eram antes", mas não, se igualaram aos políticos corruptos nas práticas politiqueiras.

Caso seja candidato em 2018, não votarei nele. Também não serei eleitora de Bolsonaro. Se Lula for eleito, submeter-me-ei à vontade da maioria, mesmo a contragosto.

Já fiz parte da minoria quando ele perdeu para Fernando Collor e FHC, e, da maioria, quando foi eleito presidente, quantitativos não me assustam. Enquanto tiver o direito de escolha, pretendo exercê-lo. Então ...que venha 2018!
***

#Política #Opinião

Você pode gostar também

0 comentários