Reitor da UEPB anuncia edital de remoção e concurso para 200 vagas deve sair este ano

Click PB A   Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) lança na próxima segunda-feira (17) concurso de remoção interna para os servidor...

Click PB

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) lança na próxima segunda-feira (17) concurso de remoção interna para os servidores técnico-administrativos. A informação foi dada pelo reitor, professor Rangel Júnior, ao Portal ClickPB nesta sexta-feira (13). 

A medida abre caminho para a realização de concurso público previsto ainda para este ano, para preenchimento do quadro técnico-administrativo. As vagas remanescentes das remoções serão destinadas ao preenchimento por concurso público - em torno de 200 vagas, disse o reitor. 

"Depois dessas vagas preenchidas, as vagas que surgirem no local de onde a pessoa saiu é que deverão ser ocupadas por concurso público. Logo depois de concluído o processo de remoção interna, nós deveremos a partir de então chamar o concurso público. Porque o nosso entendimento é que o serviço público deve ser ocupado prioritariamente por pessoas concursadas", disse Rangel Júnior. A previsão para o processo de remoção é que seja concluído entre 60 e 90 dias após a publicação. Depois disso começam os trâmites para o concurso público, para ser realizado neste ano.  

Ele disse que o edital de remoção interna está pronto, precisando de uma breve revisão, para poder publicar. "Nós não lançamos ainda, mas acredito que na segunda-feira próxima nós já poderemos lançar", disse. 

De acordo com ele, atualmente, mais de 30% do quadro total de professores tem caráter temporário, como substitutos, assim como mais de 30% do quadro de servidores técnico-administrativos também são contratados temporários. 

O edital de remoção interna é uma mudança recente na legislação interna da universidade e tem como objetivo democratizar e permitir aos servidores a mudança de campus, o deslocamento de uma cidade para outra, transferência de servidores de um setor para outro, "evitando qualquer tipo de ingerência política", explicou o reitor. A ideia é garantir a mobilidade interna dos servidores, de acordo com a necessidade do setor e com a existência de vagas, entre outros critérios. "Isso dá um caráter público, democrático e mais transparente ao processo", disse o reitor.  

A UEPB pretende manter as vagas de estudantes que devem ingressar em maio, a depender do fim da greve. São 3.318 estudantes, segundo o reitor. Isso, ainda de acordo com o reitor, gera a necessidade da convocação dos professores substitutos. 

Os concursos para técnico-administrativos e para professores são independentes. Primeiro será realizado o dos servidores. Para professores, ainda não há edital elaborado. E embora a necessidade de vagas ultrapasse o número de 400, não será aberta essa quantidade de vagas. "Vamos trabalhar para que essa reposição ocorra a médio e longo prazo, porque a universidade não tem capacidade orçamentária". 
***

#Sociedade #Educação

Você pode gostar também

0 comentários