Oposição mostra de onde veio o dinheiro para Ricardo asfaltar tanta estrada

Por Rubens Nóbrega, do Blog do Rubão, JP Com direito a show de Santanna e à graça de receber um título de Cidadão Carrapateirense, o ...

Por Rubens Nóbrega, do Blog do Rubão, JP

Com direito a show de Santanna e à graça de receber um título de Cidadão Carrapateirense, o governador Ricardo Coutinho inaugurou na tarde de ontem (1º), em Carrapateira, 25 km de asfalto que fizeram da cidade “a última das 54 que se encontravam isoladas, sem pavimentação asfáltica na Paraíba”.

O trecho beneficia as PBs 384 e 366, que ligam São José de Piranhas a Carrapateira, mas, segundo a oposição ao governador, essas rodovias somente ganharam asfalto – a exemplo de todas as demais atendidas pelo programa ‘Caminhos da Paraíba’, do atual governo – graças ao esforço de governos anteriores.

A lembrança dos oposicionistas, particularmente aliados e seguidores de Cássio Cunha Lima, remete ao fato de que foi o hoje senador do PSDB, enquanto governador do Estado (2003-2009), quem conseguiu os recursos para asfaltar as estradas que Ricardo vem asfaltando e inaugurando desde 2011.

Lembram que o programa de asfaltamento empreendido pela atual gestão é consequência direta dos 100 milhões de dólares negociados em julho de 2008 com a CAF (Corporação Andina de Fomento). O empréstimo foi aprovado pelo Senado em março do ano seguinte, alguns dias depois de Cássio ser cassado em definitivo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Com a posse do então senador José Maranhão (PMDB) no Governo do Estado, em 18 de fevereiro de 2009, foram iniciados os procedimentos para aplicação do dinheiro da CAF (R$ 161,4 milhões, ao preço do dólar em 10 de julho de 2008, data em que Cássio fechou o empréstimo com a entidade andina).

Mas o planejamento de Maranhão esbarrou na maioria cassista que se manteve na Assembleia, onde a distribuição de asfalto no território paraibano ficou condicionada a uma planilha elaborada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A CCJ era presidida pelo deputado Zenóbio Toscano (PSDB), atual prefeito de Guarabira e na época a maior expressão da bancada de Cássio no Legislativo estadual.

Com o ‘redesenho do mapa asfáltico’ feito por Zenóbio e correligionários, as licitações e contratos para realização das obras demoraram mais do que o previsto ou desejado pelo Maranhão III. Que teve menos de um ano para iniciar os primeiros asfaltamentos e pouco mais de um para ser derrotado por Ricardo Coutinho nas urnas de 2010.

Empossado em 1º de janeiro de 2011 no Governo do Estado, Ricardo Coutinho, dizem os adversários, “só teve o trabalho de fazer festa, propaganda e assinar ordens de serviço” para pavimentar estradas carroçáveis e assim se atribuir um crédito que não divide com seu ninguém. Sequer diz de onde veio o dinheiro para tanto asfalto, reforçam os lamurientos vencidos.

Mais do que choro de perdedor, para botar o que pensam ser muita água no chope de Ricardo, seus opositores passeiam nas redes sociais distribuindo link de página da CAF na Internet que mostra o quanto viajaram de lá até a Paraíba os 100 milhões de dólares que construíram a popularidade do atual governador e asfaltaram a sua reeleição em 2014.
***

#Política 

Você pode gostar também

0 comentários