Sindicalistas rejeitam mudanças na trabalhista via MP e recorrem a Renan

Sérgio Lima/Poder360 - 14.dez.2016 Por Paloma Rodrigues, Poder 360 Dirigentes de 8 centrais sindicais apresentaram nesta 4ª feira (...

Sérgio Lima/Poder360 - 14.dez.2016
Por Paloma Rodrigues, Poder 360

Dirigentes de 8 centrais sindicais apresentaram nesta 4ª feira (17.mai.2017) ao líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), uma contraproposta à reforma trabalhista aprovada na Câmara dos Deputados.

Renan se comprometeu a levar as sugestões de alteração ao presidente Michel Temer. Os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Kátia Abreu (PMDB-TO) e Paulo Paim (PT-RS) também participaram.

O presidente da Força Sindical, Paulinho da Força (SD-SP), elaborou 1 projeto alternativo ao texto com o auxílio de técnicos do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). A intenção que as mudanças sejam feitas no Senado –não via medida provisória, como almeja o Planalto. “Se for por medida provisória, aí que atrasa. O governo vai ficar 6 meses discutindo a MP.

O principal pleito do texto é a criação de 1 período de transição para o fim da contribuição sindical obrigatória.

Paulinho da Força usou suas redes sociais para repercutir o encontro:



OS PONTOS DE RENAN

É a 2ª vez que Renan recebe sindicalistas para falar da reforma. Em fala no plenário do Senado, Renan afirmou que considerou 1 “avanço” o diálogo estabelecido com Michel Temer. “Eu fiz questão de dizer que acho que essa possibilidade é 1 avanço“, afirmou. “Mas o papel do Senado é tornar essa medida provisória desnecessária. É papel do legislativo fazer o aprimoramento das leis.

O alagoano já sugeriu abrir mão da liderança por oposição à trabalhista. Com comportamento errático, também elogiou abertura do presidente ao diálogo com a bancada.
***

#Política 

Você pode gostar também

0 comentários