Temer diz a tucanos que vence no TSE, sem adiamento

Por Tales Faria, Poder 360 Presidente interino do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE) comunicou ao partido que o presidente Michel ...

Por Tales Faria, Poder 360

Presidente interino do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE) comunicou ao partido que o presidente Michel Temer acredita em vitória no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Nem adiamento nem pedido de vista. Vitória mesmo. O julgamento que pode cassar a chapa Dilma-Temer começa na 3ª feira (6.jun.2017).

O prognóstico foi passado aos tucanos na 2ª feira (29.mai), quando o presidente e o ministro Moreira Franco (Secretaria Geral) se reuniram em São Paulo com Tasso e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

AOS VOTOS

O peemedebista conta vencer por 4 a 3, no mínimo. Entre os ministros do TSE, ele acredita que já tem os votos de Gilmar Mendes (presidente), Napoleão Nunes Maia Filho, Admar Gonzaga Neto e Tarcísio Vieira Neto. Os 2 últimos foram nomeados por Temer.

O vice-presidente da Corte, Luiz Fux, é considerado voto incerto. Seriam contrários: Rosa Weber e o relator, Herman Benjamin.

TORQUATO JARDIM: ARTICULADOR

Tasso e FHC ficaram impressionados com a argumentação de Temer ser marcadamente jurídica e com detalhes dos bastidores do TSE. No dia anterior, domingo (28.mai), Temer havia anunciado seu novo ministro da Justiça. O advogado Torquato Jardim é especialista em direito eleitoral e foi ministro do TSE. 

LIGAÇÃO COM SARNEY

Foram poucos tucanos à posse do novo ministro ontem (31.mai). Tem 1 ponto que não agrada muito ao PSDB: Torquato foi advogado da campanha presidencial de 2002 da filha de Sarney, a então governadora do Maranhão, Roseana Sarney.

A candidatura de Roseana se liquefez quando a PF apreendeu R$ 1,3 milhão em dinheiro na empresa Lunus, de seu marido, Jorge Murad. Em discurso irado no Senado, José Sarney insinuou que o candidato tucano, José Serra, e o então presidente, FHC, estavam por trás da apreensão.

Desde então, a relação entre Sarney e os tucanos deteriorou-se e o peemedebista passou a apoiar o então candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva.
***

#Política

Você pode gostar também

0 comentários