A Baía da Traição: Decadência ou futuro?

Por Eliabe Castor, jornalista Doce, doce, doce, a vida é uma bela paisagem de Salvador Dali ou Daqui na maré mansa de Acajutibiró! Ma...

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Por Eliabe Castor, jornalista

Doce, doce, doce, a vida é uma bela paisagem de Salvador Dali ou Daqui na maré mansa de Acajutibiró! Mas a vida é amarga por vezes. Não gosto nem preciso falar do cotidiano. Política, fome, guerras e por aí vai... Mas na hora de cobrar os gastos das minhas parcas economias para explanar o que sou e o que serei, viro "bicho". Quer cobrar? Que tenha uma água de qualidade, uma cobrança de energia elétrica em conformidade com o que a lei determina. Não tenho culpa se uma ou outra administração fez bobagens.

Como, em dias atuais, vivo na Baía da Traição, vejo um governo municipal engessado pela crise que assola o país, contudo, ao longo dos meus 24 anos de jornalismo político, tendo a oportunidade de ter "lições" com Tarcísio Burity, Ronaldo Cunha Lima, Mariz, Gervásio pai, Cícero Lucena. Ricardo Coutinho e por aí vai; não será um inexperiente que irá tentar ensinar ou ofuscar a minha pessoa e o meu ofício.

É preciso entender que existem mandatos de uma "só urna". Não vou tecer embates em relação à gestão municipal Baianense, pois todos falam, de Norte a Sul, que os cofres públicos estão exauridos.

E as contas de Acajutibiró estão em frangalhos. Bem, caso sim, vá para o povo nosso gestor!. Promova um Orçamento Participativo e receba o clamor da população. Entenda que a povo precisa do poder público e privado, mas que os dois caminhem de forma justa, para que os projetos fluam de maneira honesta.

Diante de tal exposto, é possível entender os reais problemas da velha e boa Baía da Traição... Não, não os Holandeses e Portugueses que saquearam essa bela terra. Falo do hoje, do aqui, e agora! Santos do “Pau Oco” não mais existem. O povo exige uma economia célere e um turismo que dura não apenas um Carnaval. Uma baixa estação turística com movimentos culturais seria o princípio. Tico e Teco já sabem, disso.

Vou escrever artigos e mais artigos e mais artigos sobre gestão pública ( e como fazê-la) com viés ao turismo, história e meio ambiente (Tenho pós nisso). E isso a Baía tem de sobra. Vamos mudar? O que Pipa tem que nós não temos? Pergunto e respondo: administração e investimento.

Não sou eu quem digo. É o povo! No mais, surpresas, boas surpresas virão, espero (esperamos), e se vim morar em tal município, independente de quem sou (o google) está aí para uma pesquisa rápida, calúnias sórdidas não me atingem, pois só tenho elogios entre colegas e verdadeiros amigos. Não os compro!

Amigos, mas uma vez é vida amarga ou doce. Por vezes, ela nos põe de joelhos, outras tantas, de pé. Cenas dos próximos capítulos virão. Na Capital, articulações políticas e humanas em pleno vapor! Amanhã retorno!

Em breve um blog propositivo virá, este sim, com participação popular.

Contato com o autor: eliabe.castor@hotmail.com

***
#ColunaDoEliabe #Política

Você pode gostar também

0 comentários