Sindifisco: Receitas do Estado continuam crescendo

Paraíba Rádio Blog A arrecadação própria do Estado (ICMS, IPVA, ITCD e taxas) fechou com alta no último mês de julho, desempenho que ...

Paraíba Rádio Blog

A arrecadação própria do Estado (ICMS, IPVA, ITCD e taxas) fechou com alta no último mês de julho, desempenho que ajudou a alavancar o percentual do acumulado dos sete primeiros meses de 2017.

De acordo com o desempenho obtido em julho, as auditoras e os auditores fiscais garantiram uma arrecadação superior a R$ 452 milhões, aumento de mais de R$ 17 milhões em relação ao que se arrecadou no mesmo período de 2016, ou seja, incremento de 3,95%.

Quanto ao acumulado das receitas próprias de janeiro a julho, entraram nos cofres do Estado recursos da ordem de R$ 3,188 bi, incremento de R$ 208 milhões, enquanto que no mesmo período de 2016, a arrecadação foi de R$ 2,980 bi, incremento de 6,99%.

O Sindifisco-PB parabeniza as auditoras e os auditores fiscais por mais um excelente resultado alcançado, garantindo recursos satisfatórios ao Estado, mesmo com as dificuldades que precisam enfrentar diariamente em virtude da falta de condições de trabalho.

Outra fonte de recursos, as transferências constitucionais (FPE, Fundeb, Cide, Fex, IOF-Ouro, IPI-Exp, Lei Kandir e Royalties) também apresentaram números positivos em julho, mês em que o Estado recebeu cifra superior a R$ 285 milhões. Comparado com as transferências do mesmo mês de 2016, que foi de mais de R$ 259 milhões, houve incremento de mais de R$ 26 milhões, representando alta de 10,09%.

No acumulado de janeiro a julho deste ano, foram transferidos para a Paraíba R$ 2,546 bi, sendo que, no mesmo período do ano passado, o Estado recebeu R$ 2,364,  incremento de R$ 182 milhões, crescimento percentual  de 7,71%. 

Somando os recursos da arrecadação própria com as transferências constitucionais dos sete primeiros meses deste ano, a cifra é superior a R$ 5,735 bi, enquanto que, no mesmo período de 2016, o montante foi R$ 5,344 bi, incremento de mais de R$ 390 milhões (7,31%).
***

#Política 

Você pode gostar também

0 comentários