Temer convida autoridades para jantar, mas não oferece nada além de água

Correio Braziliense O convite enviado a autoridades do poder público do país, para um encontro do presidente Michel Temer na noite de...

Foto: Evaristo Sá/AFP
Correio Braziliense

O convite enviado a autoridades do poder público do país, para um encontro do presidente Michel Temer na noite desta quarta-feira (6/12), dizia tratar-se de um jantar. A intenção do chefe do executivo federal era buscar apoio para aprovação da reforma da Previdência. Teve conversa, teve encontro o presidente, mas faltou o que comer. Ministros, deputados, senadores e líderes partidários foram ao Palácio da Alvorada e alguns reclamaram que a única coisa oferecida durante toda a noite de negociações foi água mineral.

Normalmente, as reuniões com o presidente têm cardápios fartos e são regadas a vinhos de boa qualidade. Por causa da dieta do presidente, também costumam figurar pratos leves, como peixes, e alimentos com pouco sal. Apesar da recomendação médica, eventualmente, Temer não dispensa outras iguarias. Recentemente, em um encontro na residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) preparou uma dobradinha e uma rabada para o peemedebista, que não dispensou o buffet.

A ideia do encontro desta quarta era buscar apoio. Porém, depois da gafe, mesmo sem comida, pode ser que o governo tenha uma indigestão. Isso porque, embora o Planalto pretenda encerrar o assunto e aprovar as medidas ainda neste ano, pode ser que o apoio dos parlamentares seja ainda mais fraco que o cardápio da noite. O documento tem relatoria do deputado Arthur Maia (PPS-BA) e precisa de 308 votos para ser aprovado. Ainda assim, as estimativas, até a tarde de hoje, eram que o governo contasse apenas com cerca de 290 votos favoráveis. 

Havia a expectativa de que, após o "jantar", os deputados marcassem uma data para votar a proposta em plenário, que inicialmente chegou a ser a prevista para esta quarta-feira (6/12). Porém, a reação dos convidados levou o governo a desistir de anunciar essa nova data.

Compareceram ao Alvorada, entre outros, os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços), Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Torquato Jardim (Justiça), Helder Barbalho (Integração Nacional), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia), Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Todos eles chegaram ao jantar antes mesmo do presidente. Ao todo, 19 ministros, 10 líderes partidários sete presidentes de partidos e cinco deputados marcaram presença no convite de Temer. 
***

#Política 

Você pode gostar também

0 comentários